Foi o fim da ‘farra’ dos palmitos ilegais. Isso por que uma fábrica clandestina foi fechada com mais de três toneladas do produto em Guaraqueçaba, no Litoral do Paraná. A operação foi deflagrada pela Polícia Ambiental nesta quinta-feira (20). Houve prisão de dois homens além de pássaros e armas apreendidos.

Foto: divulgação.

Foram mais de mil palmitos Jussara, 768 vidros de palmito em conserva, 234 vidros vazios, 9 botijões de gás, 20kg de antioxidante e 7 pássaros nativos silvestres. Segundo o tenente André das Rondas Ostensivas Táticas Metropolitanas (ROTAM), o palmito utilizado na fábrica está em extinção.

“Recebemos uma denúncia a uma fábrica da palmito ilegal. Foram recebida denúncia de palmito ilegal, o Jussara. Essa é uma espécie de palmitos em extinção. Eles também tinha mandado de prisão em aberto”, falou à Banda B.

Os donos da fábrica clandestina estavam até com armas clandestinas, de acordo com o tenente da Rotam. “Chegando na localidade, foram identificados o local e os palmitos. Foram apreendidos diversos materiais utilizados para fabricação e cozimento do palmitos. Foram apreendidas espingardas calibre 32 e animais silvestres em posse dos infratores”, comentou.

O tenente explicou que o prejuízo para os donos da fábrica será grande. “O prejuízo para os infratores é R$ 1 milhão e R$ 200 mil. O prejuízo foi R$ 1 milhão nos autos de infração”, concluiu.