Ex-presidente da Paraná Turismo é alvo de segunda denúncia de assédio

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


A Delegacia da Mulher recebeu mais uma denúncia de assédio sexual contra o ex-presidente da Paraná Turismo, autarquia ligada ao Governo do Estado, João Jacob Mehl. Dessa vez, a vítima é uma empregada doméstica, de 44 anos, que trabalhou na residência de Mehl.

João Jacob Mehl Paraná Turismo
Foto; AEN

A vítima prestou depoimento no último dia 11 de janeiro e procurou a Banda B nesta segunda-feira (24). Em mais de 30 minutos, ela contou o que sofreu. A reportagem optou por não colocar todas as falas, devido ao teor pesado do conteúdo.

A trabalhadora citou que teve coragem de denunciar após a secretária do ex-presidente, Natália da Silva, trazer as situações de assédio sexual a público no último mês de dezembro. A denúncia da funcionária comissionada da Paraná Turismo provocou o pedido de exoneração de Jacob Mehl.

A empregada doméstica pediu para não ser identificada pela reportagem, pois, apesar de ter sido vítima, sente vergonha do que aconteceu. Ela disse que Jacob Mehl cometia os assédios quando a esposa não estava em casa.

“Acontecia sempre, sempre que ela (esposa) não estava em casa. As vezes ela estava no quarto, ele vinha e falava as coisas. Ele perguntava se eu estava raspada, se eu fazia amor com meu esposo, se eu sabia fazer gostoso, se eu tinha ‘dado o traseiro’. Essas coisas assim que ele falava”, relatou.

A vítima trabalhou quase um ano e meio na residência. Durante esse período, passou por vários momentos de medo.

“Quando ela saia, ele me chamava. Eu tinha medo dele, mas eu tinha que ir, porque eu trabalhava lá, né? Meu marido estava desempregado, e eu não tinha coragem de falar com ele. Foi quando minha mãe percebeu que eu estava muito triste. Aí eu contei tudo para minha mãe e só depois para o meu esposo”, afirmou.

Conforme a empregada doméstica, o ex-presidente da Paraná Turismo tinha o hábito de andar pela casa sem roupa ou em trajes íntimos.

“Ele andava pela casa sem roupa. Uma vez ele estava sentado no sofá e me chamou. Eu fui até lá e ele estava pegando no ‘negócio’. Eu fingi que não vi e perguntei: o que o senhor quer? Ele respondeu: eu quero ir para cama com você”, lembrou.

Os episódios de assédio se intensificaram e, mesmo com o marido desempregado, a profissional decidiu abandonar o trabalho.

“Eu nem pedi a conta, eu peguei e abandonei. Eu peguei as minhas coisas e fui embora. Eles começaram a me ligar, mas não tinha como eu contar para a esposa dele”, ressaltou.

O que diz o ex-presidente da Paraná Turismo:

A Banda B entrou em contato com a defesa de João Jacob Mehl que informou que, por enquanto, não vai se manifestar.



Fonte: Banda B