Ex-namorado de técnica de enfermagem morta diz que foi agredido por ela e que está arrependido

0
21


Pedro Henrique Souza de Oliveira, de 24 anos, ex-namorado da técnica de enfermagem Letícia Stefani Inácio, encontrada morta na tarde de domingo (3) no condomínio onde morava, afirmou que está arrependido do crime, enquadrado como homicídio qualificado.

Pedro Henrique de Oliveira.
Foto: Reprodução Facebook.

“Com certeza”, disse ele no depoimento, ao qual a Banda B teve acesso. Ele foi acompanhado do advogado Geraldo Darif Saldanha. O rapaz foi ouvido na tarde desta segunda-feira (4) pelo delegado Paulo Renato Caldas de Araújo, da Delegacia de Polícia Civil de Pinhais, na região metropolitana, que investiga o caso.

O ex-namorado da vítima foi preso em flagrante na tarde desta segunda – ele estava na casa dos pais, em Pinhais – e confessou o crime, alegando ciúmes. Ele disse que o namoro com Letícia havia terminado duas semanas atrás e que foi até Letícia para tirar satisfações sobre uma foto que viu nas redes sociais dela com amigos em um bar.

Ele ficou de guarda dentro do condomínio onde Letícia morava, esperando a chegada dela. Pedro Henrique aproveitou a saída de uma moradora para acessar o interior do condomínio. “Quando saiu uma moça, eu entrei dentro dele”, contou.

Durante o depoimento, o rapaz mostrou marcas de arranhões no pescoço e no peito. Os machucados, segundo ele, seriam unhadas de Letícia. Pedro Henrique teria sido agredido durante discussão e revidado a suposta agressão da ex-namorada.

“Assim que ela chegou [ao condomínio] fui conversar com ela. Peguei no braço dela e ela me deu um tapa no rosto e no peito. Nisso que ela me bateu, empurrei ela. No momento que empurrei ela, ela bateu a cabeça na parede e ficou desacordada no chão”

afirmou no depoimento.

O corpo de Letícia foi encontrado debaixo de uma escada do condomínio, com rastros de sangue no chão. Pedro Henrique confirmou ao delegado que empurrou o corpo dela para o lado depois que ela caiu desacordada e disse que não lembra como saiu do local. Ele também confirmou que jogou pertences dela no mato, próximo da Avenida Ayrton Senna.

Ao ser questionado se lembrava de ter esganado a vítima com um cadarço, ele negou.

Testemunha

Um colega de trabalho da vítima também foi ouvido na Delegacia de Pinhais. Ele contou ao delegado que percebia que enquanto eram um casal, Pedro Henrique e Letícia tinham um relacionamento conturbado.

“Ela me relatou que o mesmo tinha raqueado as redes sociais dela como um todo, conversado com algumas pessoas e, por esse motivo, eles terminaram”, relatou. A testemunha confirmou que Letícia mencionou ter sido ameaçada de agressão, por querer romper o relacionamento.





Fonte: Banda B