Estudante de 17 anos é encontrada morta em Campo Grande; parentes acusam namorada da mãe

0
86


A família de uma adolescente de 17 anos, que foi brutalmente assassinada na manhã da última quinta-feira, acusa a namorada da mãe da jovem de ter cometido o crime. O caso aconteceu em Inhoaíba, em Campo Grande, Zona Oeste do Rio. Segundo a comerciante Andrielle Silva, prima da vítima, Kamilly Alves foi morta dentro de casa e encontrada com sinais de estrangulamento. De acordo com os parentes, a namorada da mãe teria cometido o crime por não aceitar o processo de separação que o casal vinha enfrentando.

— Nós estamos completamente desestabilizados com tudo isso. E cada vez que a gente lê ou vê algo, sofremos ainda mais. Mas precisamos encontrar essa assassina. O que Kamilly nos contava é que a mãe dela e a namorada estavam brigando muito e que elas já estavam num processo de separação. Mas a mulher não aceitava — conta Andrielle: — Na quinta-feira, pela manhã, a mãe de Kamilly saiu para trabalhar, e a namorada foi junto até o ponto de ônibus. Ela teria pedido dinheiro para poder procurar emprego. Mas, minutos depois, voltou para casa e cometeu o crime.

Local do crime, em Campo Grande Foto: Reprodução / Facebook Campo Grande RJ

Andrielle conta ainda que a prima foi encontrada pela polícia dentro do terreno onde morava, amarrada, com sinais de estrangulamento e com marcas do que, segundo ela, seria uma pancada na cabeça:

— É muito doloroso falar sobre isso. Eu não vi o corpo, mas sabemos dos detalhes porque a própria assassina, depois do crime, foi até a casa da irmã e confessou o que tinha feito. Ela teria falado assim: “Matei a Kamilly, e o corpo tá lá dentro da casa num saco preto”. Ela estava com uma mochila e sumiu.

A estudante, que estava perto de concluir o Ensino Médio, ajudava a prima Andrielle na padaria que ela acabou de abrir. Mas, no dia do crime, não apareceu.

— Ela sempre chegava na padaria por volta das 13h30. Mas, nesse dia, ela não apareceu nem atendeu as ligações. Começamos a ficar preocupados. Quando chegamos à casa dela, já tinha uma viatura da Polícia Militar, e a irmã da namorada da mãe da Kamilly também estava lá. Ela nos contou o que aconteceu — afirma Andrielle.

Casal estaria brigando

A família da vítima conta que a relação de cerca de cinco anos entre a mãe de Kamilly e a suspeita já estava no fim e que as duas brigavam muito. Para tentar um término mais tranquilo, a mãe de Kamilly conseguiu uma outra casa para morar com a filha, mas ainda aguardava a entrega das chaves.

— A mãe da Kamilly estava fazendo tudo para evitar mais brigas. E queria sair logo da casa onde estava para tentar dar mais segurança para a filha. Infelizmente, essa brutalidade aconteceu — lamenta Andrielle.

Kamilly Alves
Kamilly Alves Foto: reprodução / Facebook

Kamilly foi enterrada no sábado, no Cemitério Jardim da Saudade, em Paciência, também na Zona Oeste do Rio.

— A mãe da Kamilly está destruída emocionalmente e nem estamos dando informações sobre onde ela está ficando, justamente para proteger a integridade dela. O que a gente pode falar é que na própria quinta-feira tanto ela quanto a irmã da assassina prestaram depoimentos à Polícia Civil — acrescenta Andrielle.

O caso está sendo apurado pala Delegacia de Homicídios da Capital. Em nota, a Polícia Civil afirmou, ontem, que “as investigações estão em andamento e diligências estão sendo realizadas para esclarecer o caso”, mas não informou qual é a linha de investigação e se a namorada da mãe é suspeita do crime.

‘diligências’



Fonte: Fonte: Jornal Extra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui