‘Ele foi uma pessoa muito generosa’

0
71


Em uma mensagem de áudio publicada nas redes sociais, o médico Italo Marsili, filho do cirurgião Claudio Marsili, que foi assassinado na manhã desta terça-feira, na Barra, na Zona Oeste do Rio, agradeceu as manifestações de apoio e disse que “a morte não é a palavra final para quem tem fé”. O psiquiatra comentou ainda que a quantidade de pessoas e funcionários que foram até a cena do crime para se despedir do médico, “com lágrimas nos olhos”, mostra como seu pai “foi uma pessoa muito generosa”. A mensagem foi compartilhada no perfil de Italo Marsili no Instagram, que tem 1,4 milhão de seguidores.

Na gravação, o psiquiatra inicia agradecendo as mensagens de apoio e as orações, em seguida diz: “A morte não é a palavra final para quem tem fé. A morte não é o último degrau. Para quem tem fé e esperança, ela é o primeiro degrau para a vida eterna. Meu pai era uma pessoa que tinha muita fé, muita esperança, e transmitiu isso para mim, para a minha irmã e para todos que o cercavam. Hoje, a quantidade de pessoas e funcionários da clínica que estavam olhando para ele, para aquela cena, com lágrimas nos olhos e sentindo falta dele… Isso é sinal de que ele foi uma pessoa muito, muito, muito generosa”.

Veículos da PM ao lado do corpo do médico Claudio Marsili, assassinado na Barra Foto: Gabriel de Paiva / Agência O Globo

Entenda o caso

O médico foi baleado antes das 7h, após estacionar seu Hilux cinza, que foi levado pelos bandidos. Ele ia dar plantão na Clínica Viteé, da qual era sócio, na Avenida Fernando Mattos. Policiais militares do 31o BPM (Recreio dos Bandeirantes) foram chamados e acionaram a equipe do Grupo de Local de Crime (GELC) da DHC.

O crime aconteceu na Avenida Fernando Mattos, a 600 metros da Delegacia de Homicídios. Esteve no local um dos filhos de Claudio Marsili, Ítalo, que chegou a ser cotado para ser ministro da Saúde, foi com o amigo Rodrigo Reis, que é cardiologista e estudou com Ítalo, e o padre Matheus Muniz Aquino.

Ele chorou ao lado do corpo do pai, removido por volta das 10h para o Instituto Médico-Legal (IML), no Centro do Rio. Policiais militares do 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes) foram acionados e homens do Grupo de Local de Crime (GELC) da Delegacia de Homicídios da Capital (DHC) realizaram o trabalho de perícia na via.

Em nota, o Conselho Regional de Medicina informou que “está consternado e lamenta a morte do renomado colega Claudio Marsili, por um motivo tão cruel. Ontem (18/10), nossa categoria profissional celebrou o Dia do Médico, com uma iluminação especial no Cristo Redentor por esta data, e é muito triste receber esta notícia e saber que estamos tão expostos à insegurança e à violência em nossa cidade. Pedimos às autoridades que assegurem o nosso direito de ir e vir e que os responsáveis sejam devidamente punidos. O Cremerj se solidariza com familiares, amigos e colegas de trabalho neste momento de dor.”

Em seu site, Claudio se apresentava como cirurgião plástico “com vasta experiência”. “Sempre em busca do rigor técnico e respeitando os critérios máximos de segurança exigidos. Visa a harmonia e delicadeza no contorno corporal e facial e aborda a beleza como conceito de saúde e autoestima elevada”, dizia. Entre os procedimentos que oferecia estão lipoaspiração, implante de próteses de silicone, abdominoplastica e harmonização facial.

Cartaz do Disque Denúncia pede informações sobre os envolvidos na morte do cirurgião plástico
Cartaz do Disque Denúncia pede informações sobre os envolvidos na morte do cirurgião plástico Foto: Reprodução

Claudio Marsili tem formação pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), onde concluiu em 1982, e pós-graduação em cirurgia-geral pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Ele fez também pós-graduação em cirurgia plástica estética e reparadora pela Estácio de Sá e em medicina ortomolecular e desportiva pela Universidade Veiga de Almeida (UVA). No currículo ainda consta doutorado em Saúde Pública pela Universidade de Ciências Empresariais e Sociais (Uces), da Argentina.

Em seus perfis nas redes sociais, Ítalo e Mila Marsili, filhos do cirurgião, pedem orações em memória do pai. Numa publicação de Ítalo no Instagram, ele compartilha as palavras de um padre, que também esteve no local do crime pela manhã, que diz em um trecho: “Pela intercessão de São Pedro de Alcântara, as portas do Céu serão abertas para o seu pai!”.

No Instagram, o médico tinha 15,8 mil seguidores. Na tarde de ontem, ele fez uma postagem: “A expectativa de ter sua segurança e sua autoestima de volta muitas vezes pode fazer com que as pacientes realizem a cirurgia de forma rápida, sem conhecer o profissional muito bem e isso acaba atrapalhando no resultado final do procedimento. Para toda cirurgia ser um sucesso, existem etapas que precisam ser cumpridas, desde a primeira consulta até o pós-cirúrgico. É muito importante estar ciente de que, para atingir o resultado mais próximo do que você deseja, é necessário que você conheça o profissional e se sinta confortável com ele”, escreveu.

“Não deixe que a falta de cautela e a pressa atrapalhem o seu sonho. Nós estamos lidando com a sua aparência, com a sua autoestima e é por isso que tudo precisa ser feito com segurança e precisão, para que o resultado seja o mais próximo do que você deseja”, completou. A mensagem foi curtida por mais de 560 pessoas e comentada por mais de 30.



Fonte: Fonte: Jornal Extra