Delegado diz que acusado de matar mulher em ônibus confessou o crime

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Wesllen Vitorino de Araújo Silva, suspeito pela morte de Samantha Mantovani Muniz, de 35 anos, foi interrogado pela Polícia Civil nesta sexta-feira (25). Segundo o delegado Thiago Nóbrega, da Divisão de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP), o acusado se mostrou frio, sem estar arrependido do crime que cometeu horas antes. O assassinato aconteceu dentro do biarticulado da linha Centenário/Campo Comprido, na tarde desta quinta-feira (24).

Foto: Reprodução

“Ele confessa a prática do crime e diz que matou realmente Samantha. Ele estava calmo, não demonstrou arrependimento. Ele só disse que ela inflamou os demais passageiros do ônibus contra ele e, em razão disso, matou ela. Um rapaz frio. Espero que fique um bom tempo atrás das grades”, explicou o delegado.

Wesllen disse ainda que já iria sair do ônibus. “Ele disse que já queria sair do ônibus. Mas não gostou da atitude, disse que não sabia o porquê fez isso. Ele foi encontrado com a mesma roupa, no hotel”, concluiu Nóbrega.

Após supostamente matar Samantha, Wesllen foi até um shopping para trabalhar, em Curitiba, de acordo com a polícia. Ele disse à polícia que saiu da estação-tubo, no bairro Mossunguê, e foi até quiosque de suco em um shopping em que trabalhava.

Segundo relatou, o expediente foi até às 23h, quando foi demitido, pois a dona, de acordo com relato, descobriu o que aconteceu.

De acordo com Nóbrega, o rapaz estava com medo de perder o emprego que conseguiu recentemente.

Wesllen foi preso na tarde desta sexta-feira (25). Foto: Marcelo Borges/Redes Sociais.

“Após a morte da Samantha, ele sai do local de morte e sai da linha de ônibus e vai para o trabalho normalmente. Ele disse que foi trabalhar, pois tinha conseguido o emprego recentemente e não queria perder mais esse emprego. Ele saiu 23h e com medo da polícia pegar ele no local de trabalho foi para um hotel. No dia seguinte, também com medo, foi para outro hotel”, explicou o delegado.

Wesllen trabalhava em um quiosque e se mudou, de acordo com o relato, para uma pensão, com medo de ser preso. O jovem deu uma facada em Samantha após um discussão por conta de uma cocada.

“Conseguimos, em um curto período de tempo, identificá-lo e receber várias informações, com várias câmeras de monitoramento. Conseguimos traçar todo o roteiro que ele fez. Agora, 15h, identificamos o último hotel que ele estava”

O suspeito foi preso no centro de Curitiba em uma pensão, perto da Universidade Federal do Paraná (UFPR), e foi encaminhado para a DHPP.





Fonte: Banda B