Corpo de criança curitibana desaparecida é encontrado na Paraíba e padrasto confessa morte

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


O corpo de Júlia dos Anjos Brandão, de12 anos, foi encontrado dentro de um poço em João Pessoa, Paraíba, na manhã desta terça-feira (12). Ela estava desaparecida desde o último dia 7 de abril. A Polícia Civil da Paraíba prendeu o padrasto da menina.

Foto: Reprodução.

O corpo dela foi encontrado boiando , no bairro de Gramame, na capital da Paraíba. O padrasto da vítima confessou ter matado a enteada.

Júlia dos Anjos Brandão tem pais separados. Há três anos ela foi embora de Curitiba com a mãe para a cidade nordestina. Com elas mora o padrasto da menina. Desde, então, Júlia costuma passar as férias de final de ano com o pai na capital paranaense, onde fica por cerca de três meses.

Ele já havia sido ouvido pela Polícia Civil, acerca do fato, assim como outros membros da família de Júlia. No decorrer das investigações, a Polícia Civil fortaleceu as suspeitas sobre o investigado, que, ao ser novamente interrogado hoje, acabou confessando o crime e levando os investigadores até o local onde estava o corpo.

A Polícia Civil, por meio do Instituto de Polícia Científica, está realizando exames periciais pertinentes ao caso, para confirmar se o corpo indicado pelo padrasto é mesmo o de Júlia.

Pai de Júlia

Jeferson Luiz Brandão conta que foi avisado pela ex-esposa sobre o sumiço da filha no mesmo dia da constatação do fato. No dia seguinte, ele seguiu com a madrasta e a tia da menina para João Pessoa, para acompanhar o caso de perto.

“Quinta-feira da semana passada, a mãe dela acordou, foi até o quarto dela e ela já não se encontrava. Aí ela ligou pra mãe dela, pro esposo dela, pra saber onde a menina estava. Até hoje a gente não tem notícia”,

relatou o pai de Júlia, para a reportagem da Banda B, na manhã desta terça-feira (12).

Recentemente, a mãe da menina afirmou que havia reprimido Júlia recentemente pelo uso frequente do aparelho celular. Em entrevista ao portal T5, de João Pessoa, Josélia afirmou que no aparelho da filha havia uma mensagem no perfil do Instagram da menina, de um outro perfil que parecia ser falso, afirmando que ‘gostou no perfil de Júlia e que queria agenciá-la’, conforme registrou na denúncia do desaparecimento.





Fonte: Banda B