Condenado por feminicídio em São Mateus do Sul

0
17


O réu confesso Alisson Ferraz Barbosa, acusado pelo feminicídio da ex-esposa Elza Ribeiro Micharski, de 22 anos, em São Mateus do Sul, a 156 quilômetros de Curitiba, foi condenado por júri popular a 29 anos e quatro meses de prisão, na noite desta quinta-feira (25). (Assista ao vídeo com a sentença no final)

A condenação do ex-marido da vítima foi por unanimidade dos votos, de um júri 100% masculino, no Dia Internacional da Não-violência Contra a Mulher. A pena deverá ser cumprida em regime fechado.

Acusado de feminicídio é condenado em São Mateus do Sul
Elza Ribeiro Micharski foi morta aos 22 anos, em maio de 2019, em São Mateus do Sul.
Foto: Arquivo da família.

Após 15 horas de sessão, a sentença foi proferida às 23h40 pela juíza Cecília Leszczynski Guetter, na Comarca de São Mateus do Sul do Tribunal do Júri. A pena máxima poderia chegar a até 30 anos, sendo a mínima de 12.

Alisson foi condenado por crime de feminicídio qualificado por motivo torpe, meio cruel e mediante recurso que impossibilitou defesa da vítima.

Os advogados da família da vítima, Igor José Ogar, Rodrigo Cunha e Alysson Oliveira, comemoraram o resultado do julgamento. “A assistência de acusação, junto com o Ministério Público, conseguiu êxito em todos os apontamentos e acusações referentes à própria denúncia”, celebra Ogar, em entrevista à Banda B.

Desde o início do processo, a defesa de Elza alega que, antes de ser morta, a jovem implorou por ajuda e disse que sabia que iria morrer, não tendo sido atendida pelas autoridades. Na época do crime, a Banda B entrou em contato com a Polícia Civil do Paraná, o Poder Judiciário e o Ministério Público, que se manifestaram por meio de notas oficiais sobre as afirmações.

De acordo com a defesa, “ainda será analisada criteriosamente a possibilidade de demanda em face do Estado”, diz Ogar.

O crime de feminicídio em São Mateus do Sul

Elza foi morta pelo ex-marido em 5 de maio de 2019, aos 22 anos, na Praça do Olho, no centro de São Mateus do Sul, após sofrer golpes de barra de ferro e, em seguida, ser atropelada por duas vezes. Ela não resistiu às lesões na cabeça e no abdômen.

A vítima e o condenado foram casados por sete anos e, conforme informações da Polícia Civil, o acusado não aceitava o fim do relacionamento dos dois, o que teria motivado o crime. Alisson foi preso em flagrante, logo em seguida, na casa dos pais. Em depoimento, na época, ele admitiu o crime e afirmou que estava com “raiva” de Elza.

O julgamento do réu aconteceu após seis adiamentos da sessão desde janeiro de 2021. Durante todo o processo, Alisson esteve preventivamente preso.

Defesa do acusado

A reportagem da Banda B tenta entrar em contato com a defesa do condenado por feminicídio em São Mateus do Sul e mantém o espaço aberto para manifestação.

Vídeo com a sentença da juíza no caso de feminicídio



Fonte: Banda B