Condenado por duplo homicídio recorre por 20 anos e agora está foragido: “Existe justiça?”

0
13

O pai de Rafael Wistuba de Oliveira, morto aos 17 anos durante uma festa no bairro Capão Raso, em Curitiba, questiona se há justiça neste país. Rafael e o amigo Juliano José Machado, 19 anos, morreram em janeiro de 2000. Vinte anos depois, o assassino Adriano Prestes Calixto,  condenado a 11 anos de prisão em regime fechado, continua livre. Ele é considerado foragido desde o dia 27 de julho de 2020, quando o juiz Thiago Flores Carvalho, do 2º Tribunal do Júri, emitiu o mandado de prisão.

Adriano Calixto está foragido – Reprodução

“Ele trocou de nome e aprontou muito nestes 20 anos. Sabemos que se envolveu em rolos de vendas de imóveis em Campo Largo, Guaratuba e Antonina. Já levou até multa ambiental por desmatamento e continua aprontando. Será que existe justiça? Ou vivemos no país da impunidade?”, desabafou o aposentado Ailton de Oliveira, pai de Rafael,  nesta quarta-feira (2), em entrevista à Banda B.

O crime aconteceu no dia 15 de janeiro de 2000. Segundo o relato das testemunhas durante o julgamento, Adriano, na época com 22 anos,  teria discutido com um rapaz durante uma festa de aniversário na casa de Juliano, uma das vítimas. Nos fundos desta residência houve a discussão e Adriano atirou na perna deste rapaz, que sobreviveu. No momento em que ele foi para frente da casa, chegava ao local o Rafael, de bicicleta.

Rafael morreu aos 17 anos – Arquivo familiar

“O Rafael chegou,  viu a confusão e derrubou a bicicleta. O Adriano, que estava saindo, se assustou, virou e atirou contra o meu filho. Daí o amigo do meu filho, o Juliano, disse gritou dizendo o que ele tinha feito. Daí o Adriano atirou e também o matou”, contou Ailton, segundo relato nos autos do processo.

Apesar dos crimes terem sido cometidos há 20 anos, só agora em julho foi emitido o mandado de prisão, após a confirmação da condenação de 11 anos em regime fechado. A explicação para o processo ter demorado duas décadas vem do fato da defesa de Adriano ter recorrido em todas as instâncias da justiça. A decisão final veio no mês de julho, após a confirmação da condenação pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A Banda B procurou a assessoria da Policia Civil do Paraná, que confirmou a condição de foragido de Adriano. Se alguém tiver alguma informação sobre o paradeiro dele, pode ligar para o Disque-denúncia no fone 181.


Fonte: Banda B

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui