Começa júri de soldado acusado de matar ex-mulher em Colombo

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Começou, na manhã desta terça-feira (12), o júri popular de Diogo Coelho Costa, soldado da Polícia Militar (PM) acusado de matar a ex-mulher em Colombo, na região metropolitana de Curitiba. O corpo de Andriely Gonçalves da Silva, de 22 anos, foi encontrado no dia 8 de maio de 2018, um mês após o crime, na Estrada da Graciosa.

Reprodução

De acordo com a denúncia do Ministério Público do Paraná (MP-PR), Andriely foi morta por asfixia. Laudo realizado pelo Instituto Médico Legal (IML), na época do crime, chegou a confirmar que o sangue encontrado no carro de Diogo seria da vítima.

Ao todo, 16 testemunhas serão ouvidas durante o júri. Por volta das 14h30, começou o 7° depoimento.

Desde o início da investigação, Diogo nega o crime. Segundo o Portal da Transparência do Governo do Paraná, ele ainda presta serviços para a PM e recebe vencimento mensal de R$ 4.611,17.

O caso

Andriely desapareceu em 9 de maio de 2018 em Colombo. Dez dias depois, Diogo foi preso. Câmeras de segurança mostraram o momento em que o policial saiu de casa com a jovem na madrugada em que aconteceu o desaparecimento. O corpo da jovem foi encontrado em 8 de junho, na Estrada da Graciosa.

Desde o início, a defesa de Diogo não nega que o sangue encontrado no veículo seja de Andriely, mas justifica que ela tinha endometriose e sofria com sangramentos muito intensos no período menstrual.

O Ministério Público do Paraná (MP-PR) pede a condenação de Diogo Coelho Costa por feminicídio, asfixia, dissimulação e ocultação de cadáver.





Fonte: Banda B