Começa julgamento de marido acusado de matar professora que tentava se divorciar dele

0
11


Acontece nesta terça-feira (13), no Fórum de Ponta Grossa, o julgamento de Marcelo de Ávila, que está preso e é acusado pelo crime de homicídio triplamente qualificado da esposa, em dezembro de 2019. A professora Luciane Ávila foi morta a facadas quando chegava na escola em que trabalhava.

Segundo a denúncia oferecida pelo Ministério Público, no dia 4 de dezembro de 2019, por volta das 13 horas, na Avenida Anita Garibaldi, Ávila matou Luciane com vários golpes de faca. Uma pessoa que tentou impedir o crime acabou ferida.

Luciane foi morta e marido será julgado – Reprodução aRede

É a segunda vez que é marcado o julgamento do acusado. Na sessão anterior o júri foi cancelado devido à falta do número mínimo de jurados. Antes do início dos trabalhos, amigos, familiares e conhecidos da professora fizeram ato por justiça em frente ao Fórum, informa o Portal aRede.

O advogado Gustavo Madureira, encarregado da defesa de Marcelo, pediu para ele ser submetido a exame de sanidade mental, o qual constatou que o mesmo sofre de Episódio Depressivo Grave. A defesa tenta demonstrar que ele estava parcialmente incapaz por motivo de doença mental quando cometeu o crime.

Madureira afirmou que pelo fato do réu ser considerado parcialmente incapaz, em caso de condenação, ele terá sua pena reduzida de um a dois terços, devendo ser submetido a tratamento no Complexo Médico Penal de Pinhais, onde está preso.

O criminalista Angelo Pilatti Junior, assistente de acusação, disse que fará o possível para a condenação do réu e que a sentença atenda à expectativa dos familiares da vítima.

O crime

Luciane Ávila foi morta aos 42 anos quando chegava ao trabalho. Socorristas tentaram reanimá-la por meia hora, mas ela não resistiu.

Após o crime, o marido fugiu em uma moto e jogou a faca utilizada para ferir as vítimas. Ele foi preso em seguida. Luciane já havia pedido uma medida protetiva contra ele, que não aceitava o processo do divórcio. Na ocasião do crime, o pedido de proteção ainda estava em análise na justiça.

Os dois estavam casados há 25 anos e a mulher havia saído de casa em outubro. O casal tinha três filhos, sendo um de oito anos.





Fonte: Banda B