Casos de envenenamento de cães no Centro Cívico assustam moradores e geram alerta

0
12


Os casos de envenenamento de cães no bairro Centro Cívico, em Curitiba, têm preocupado os moradores e os feito deixarem de passear com os animais em determinados pontos da região. Alguns tutores procuraram a Banda B nesta terça-feira (18) para denunciar a situação;

Segundo apurou a reportagem, a maioria dos casos foram registrados após passeios pela região do Museu Oscar Niemeyer (MON), um dos pontos preferidos dos moradores para caminhar e brincar com os animais, principalmente nos finais de semana.

A professora Paulinne, moradora do Centro Cívico, descreveu os momentos que passou após perceber que havia algo de errado com seu cachorro, o Zero. O cão começou a passar mal após um passeio nesta segunda-feira (17).

Zero – Foto: Arquivo Pessoal

“Parei de caminhar com o Zero no parque [atrás do museu] porque fiquei com medo. Ontem, passei com ele de manha lá, como sempre faço, e segui o dia normalmente. Na minha pausa para almoço, desci pra buscar a comida na portaria, o Zero me viu voltando pra casa e tentou descer do sofá. Nisso, a perna dele falhou e ele caiu de lado”, afirmou a professora durante entrevista à Banda B.

De acordo com Paulinne, o cão teve diarreia e logo o levou a um consultório veterinário. “Lá, constataram que ele havia sido envenenado e aplicaram um remédio na pata dele, mas ele tremia muito”, acrescentou.

Mesmo depois de receber medicamentos e passar por exames, Zero continuou a apresentar sinais preocupantes. A professora contou que a gengiva dele começou a apresentar sangramentos e que houve novos episódios de diarreia e bastante vômito.

“Levei no veterinário de novo, aplicaram remédios, fizeram exames e ele ainda não está mexendo as patas. Eu não vi ele comendo nada, então talvez tenha acontecido muito rápido”, lamentou ao descrever o atual quadro de saúde do seu pet.

O contador Claudio, um outro tutor que percebeu que seu cão, Vênus, apresentou sinais de envenenamento após um passeio na região do MON, fez um relato parecido com o de Paulinne em entrevista à Banda B.

Segundo afirmou o contador, durante uma das voltas que costumava dar com Vênus no parque, ele percebeu que o cão começou a ficar estranho. “Ele pareceu ficar meio abatido e decidimos levá-lo ao veterinário. No caminho, ele já começou a convulsionar. Chegando lá, foram feitos exames e constatamos que, infelizmente, não havia mais o que ser feito, e que ele tinha sido envenenado”, lamentou.

O caso vivenciado por Claudio aconteceu há pouco mais de um mês. Vênus morreu.

Histórico

A professora Paulinne, que explicou o seu caso à Banda B, chegou a citar outros casos de envenenamento no Centro Cívico. Os crimes de maus-tratos aparecem com frequência na região.

“Há umas três semanas, uma amiga minha que mora a uns 500 metros da minha casa me ligou pedindo ajuda porque o cachorro dela estava passando mal e tinha dificuldades para se locomover, além de ter diarreia”, disse a mulher ao afirmar que estes são os mesmos sintomas apresentados por seu cachorro.

De acordo com ela, o animal também foi levado a uma clínica veterinária e foi constatado o possível envenenamento. O cão conseguiu se recuperar e, hoje, está bem.

Ainda, após esse caso, outro registro foi confirmado por outra amiga da professora. Conforme afirmou, este ocorreu há cerca de duas semanas. “Essa amiga lembrou que aconteceu a mesma coisa com o cachorro dela e disse que o levou ao veterinário. Lá, informaram que tem acontecido casos de envenenamento no bairro”, disse.

Paulinne concluiu dizendo que viu na internet relatos de envenenamento no Centro Cívico. “Algumas pessoas estavam deixando biscoitos envenenados na grama”, destacou.

Investigação

A Banda B entrou em contato com a Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente (DPMA), que orientou os tutores dos animais vítimas do crimes de maus-tratos a registrarem Boletim de Ocorrência sobre cada caso.





Fonte: Banda B