Briga por terreno em área de invasão tem gritaria, tiros e mobiliza a PM

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Uma briga por causa de um terreno em área de invasão mobilizou a Polícia Militar no início da tarde desta segunda-feira (9). O caso aconteceu na Rua João Sigismundo Wysocki, no bairro Orleans, em Curitiba, e teve gritaria e tiros.

Reprodução Banda B

De acordo com a mãe de um dos envolvidos, o filho teria comprado um terreno nessa área de invasão e depois o proprietário desistiu da venda. Mas, além de não devolver o dinheiro, passou a ameaçar o rapaz de morte.

“Meu filho comprou esse terreno, deu R$ 2.200 de entrada para o cara. Depois, o homem desistiu de vender, não devolveu o dinheiro e ficou ameaçando ele de morte. Falou que iria trazer uns caras para matar ele e que não iria devolver o dinheiro, nem terreno e nem nada. Aí vieram aqui para matar ele”, disse à Banda B.

Segundo a mulher, dois homens foram até o local para agredir o filho. Testemunhas relataram que, acuado, o rapaz atirou para cima e correu.

“Eu cheguei aqui e já estavam brigando, teve um que pegou uma pá para dar nele. Uma briga forte, porque esses dois são tudo lá da quebrada, mexem com droga e essas coisas. É complicado”, relatou.

Ao ser questionada pela Banda B se o filho estava armado, a mãe apenas consentiu com a cabeça e disse: “Não posso mentir”.

O outro lado

Na outra versão da história, Gabriel, que é dono do terreno, contou que o rival teria destruído a casa dele e se apropriado do lote, que não teria sido vendido.

“Eu vim atrás por conta do meu terreno, porque ele foi lá e desmanchou a minha casa. Eu fui ali e vou morar ali. O terreno é meu e ele não tem o que fazer. O dele é o do lado. Ele veio pagar de ‘bandidão’ para o meu lado. Eu cheguei no terreno e ele deu dois tiros para cima, mas ele é um m… e correu depois”, afirmou à Banda B.

Cadê a arma?

A Polícia Militar foi acionada para apaziguar a briga. Em meio à gritaria, os policiais conseguiram conter a confusão.

“Teve uma denúncia que vizinhos estavam se ameaçando. Chegamos no local e observamos que era uma briga por causa de um terreno de invasão, que eles vendem e depois não querem entregar, aí acaba nesta situação. Mas a gente conversou bastante para apaziguar as partes”, disse o policial militar Lader.

E a pergunta que todo mundo fazia era: cadê a arma? De acordo com o policial militar, ninguém soube informar e, apesar das buscas, nada foi encontrado.

“A equipe procurou por tudo, mas não conseguiu localizar a arma de fogo. Então fica nessa: um diz que sim, outro diz que não. A equipe não tem como precisar essa situação, uma vez que não encontrou”, ressaltou.

Veja um trecho da briga pelo terreno:





Fonte: Banda B