Assaltante dispensa dinheiro e rouba passarinho premiado na Zona Norte do Rio

0
16

O advogado trabalhista Fernando de Sousa, de 64 anos, deixa uma loja com um grupo de amigos, na Tijuca, Zona Norte do Rio. Todos se despedem e Fernando se prepara para atravessar a Rua Campos Salles. De repente, um homem em uma motocicleta, que estava escondido atrás de um carro a poucos metros de distância, arranca com o veículo e para ao lado do advogado. O bandido coloca a mão na cintura e rende sua vítima. Ele não exige celular, relógio, cerca de R$ 300 que estavam numa carteira e nem a aliança que Fernando usava . Com um grito, ordena ao advogado que entregue apenas uma gaiola com um passarinho, que segurava em uma das mãos.

O advogado Fernando Sousa com uma gaiola e o registro de Sapinhoá Foto: Marcos Nunes/Agência O Globo

Em seguida, o assaltante foge do local levando a gaiola com o pássaro, que foi colocada estrategicamente em cima do tanque da motocicleta. A cena descrita acima ocorreu no último domingo, por volta das 15h20. O passarinho roubado não é uma ave qualquer, mas sim um bicudo premiado em torneios de cantos.

Nascido em um criadouro licenciado pelo Instituto Brasileiro do Meio Ambente (Ibama) e batizado de Sapinhoá, nome de um poço de petróleo pré-sal, o bichinho tem menos de 4 anos e usa anilha de identificação, espécie de carteira de identidade dos pássaros, onde constam dados como número de registro e data de nascimento e filiação. Tudo isso devidamente registrado no Ibama.

Em dezembro último, ficou em segundo lugar em um campeonato disputado em Niterói. Carioca e sem nunca ter sido assaltado antes, o advogado disse que jamais esperava passar pelo o que aconteceu no domingo.

— Lembro que parei quando vi a moto se aproximando. Fiz sinal dizendo que ele podia passar. O motoqueiro parou ao meu lado. Só abriu a viseira do capacete, colocou a mão na cintura e gritou perdeu! Arrancou a gaiola da minha mão com tanta força que até machucou meu dedo. Não levou celular, dinheiro, relógio, nada. Só a gaiola com o passarinho mesmo. Fiquei atônito. Nunca tinha sido assaltado antes e jamais imaginei que fosse ser vítima de um roubo assim. Estou há dois dias sem conseguir dormir direito, acordo sempre sobressaltado. Aquela cena de domingo não sai da minha cabeça — disse o advogado, que preferiu não dizer o valor em dinheiro de Sapinhoá.

— Fiquei muito sentido com isso. Prefiro dizer apenas que o Sapinhoá tem um valor estimativo muito grande pra mim. Estava sendo preparado para ser um campeão e vinha muito bem, tanto que já havia conseguido um segundo lugar logo num dos primeiros torneios que disputou — completou Fernando Sousa, acrescentando que o passarinho tem uma pinta branca em um dos lados do bico.

O roubo foi registrado pelo advogado na 18ªDP (Praça da Bandeira). O que se sabe até agora, é que o bandido chegou a dar uma volta no quarteirão, antes de parar a motocicleta que conduzia atrás de um automóvel estacionado.

Dali, ficou provavelmente aguardando a oportunidade para agir. Logo após o assalto, o motociclista foi visto pela última dobrando a Rua Ibitiruna, de onde desapareceu. A anilha usada por Sapinhoá tem o número de registro 027.16/17 MLPMG 3.0. Quem tiver informações que ajudem a polícia a chegar aos assaltante pode ligar para o Disque-Denúncia no número 2253-1177. Não é necessário se identificar.


Fonte: Fonte: Jornal Extra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui