Arolde de Oliveira: “Vamos ter o quinto governador preso por corrupção. Duas décadas de devastação!”

232

A Operação Placebo da Polícia Federal, que apura desvios de verbas que deveriam ser usadas no combate à pandemia do coronavírus e teve como um dos alvos o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), repercutiu entre os senadores. Um dos mandados foi cumprido no Palácio Laranjeiras, residência oficial do governo fluminense, e outro na casa do governador no Grajaú, bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro. Witzel e sua mulher, Helena, foram alvos de mandados de busca e apreensão, autorizados pelo ministro Benedito Gonçalves, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Ao defender o impeachment de Witzel, o senador Arolde de Oliveira (PSD-RJ) lembrou o histórico recente de prisões de governadores e ex-governadores do Rio de Janeiro. Arolde citou que o Rio de Janeiro terá o “quinto governador preso por corrupção”, mas cinco ocupantes do cargo já foram presos em algum momento nos últimos quatro anos: Moreira Franco, Sérgio Cabral, Luiz Fernando Pezão, Rosinha Garotinho e Anthony Garotinho. Todos respondem em liberdade, exceto Cabral. “Vamos ter o quinto governador preso por corrupção, duas décadas de devastação. A Alerj tem que aprovar o impedimento do governador ou passará recibo de que também pertence à quadrilha. Pobre Rio de Janeiro, vamos negar votos a essa corja na eleição que vem aí”, defendeu Arolde.

Todas as nossas reportagens estão em constante atualização. Quem entender (pessoas físicas, jurídicas ou instituições) que tem o direito de resposta acerca de quaisquer de nossas publicações, por ter sido citado ou relacionado a qualquer tema, pode enviar e-mail a qualquer momento para plantaodoslagos@gmail.com

©Plantão dos Lagos
Fonte: ASCOM / PSD-RJ
Fotos: divulgação