Amiga está entre presos suspeitos da morte da lutadora de MMA encontrada em porta-malas


Uma amiga* de Michelle Caroline Chinol, de 38 anos, foi presa suspeita do envolvimento na morte da lutadora de MMA, no dia 16 de fevereiro. Na manhã desta segunda-feira (28), ela e o namorado foram detidos em operação da Divisão de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP).

Chinol foi encontrada dentro de um carro de aplicativo que foi guinchado por estar estacionado em local irregular no bairro Ganchinho, em Curitiba.

A polícia deve detalhar qual seria o envolvimento do casal nas próximas horas.

Amiga está entre presos suspeitos da morte da lutadora de MMA encontrada em porta-malas
Lutadora de MMA, Michelle Caroline Chinol, de 38 anos e amiga. *Como a presa ainda é suspeita, a Banda B irá desfocar o rosto e não identificará.

Câmeras de monitoramento registraram o momento em que um homem abandonou o carro em que o corpo da lutadora de MMA Michelle Chinol foi encontrado. Durante a operação, a polícia ainda apreendeu a roupa utilizada no dia do crime e diversos anabolizantes.

De acordo com o delegado Victor Menezes da DHPP, os motivos que levaram a Polícia Civil ao nome da investigada foram vários.

“Nós conseguimos apontar a investigada o envolvimento nessa conduta ilícita (assassinato), porque existia uma proximidade entre ela e a vítima em um momento crucial do histórico, o desparecimento. Além de outros elementos, por exemplo, logo que a morte aconteceu, a investigada apontou pra delegacia uma investigação relacionada a um latrocínio ou suicídio”, disse Menezes.

Segundo Menezes, a suspeita tentava o tempo todo justificar o crime. “Ela trouxe elementos de justificação da própria dinâmica do crime, isto é, por exemplo: ‘eu dei os cobertores encontrados no carro porque eu sentia pena dela’, os elementos que estavam no local do crime, como uma justificativa. (…) Houve uma diferença entre o relato dela e do outro rapaz preso”, relatou.

Os dois investigados foram levados para a Delegacia de Homicídios na manhã desta segunda-feira após serem presos. A Polícia Civil não deu detalhes sobre a motivação.

O delegado Victor Menezes disse que a polícia trabalhava com três hipóteses para o caso, classificado por ele como ‘emblemático’As hipóteses eram latrocínio ( roubo seguido de morte), homicídio e até suicídio. Com a prisão dos suspeitos a hipótese de suicídio está descartada.

Denúncia

A polícia conta com o auxílio da população com informações que ajudem no andamento das investigações e esclareçam a motivação do crime. As denúncias podem ser feitas de forma anônima pelos telefones 197, da PCPR, 181, Disque-Denúncia ou no 0800-643-1121.

*Como se trata de suspeita, a Banda B não irá identificar a amiga suspeita.





Fonte: Banda B