Adolescente que desapareceu no Litoral é encontrado em Curitiba e teria dormido na rua

0
21


Um adolescente de 16 anos, que foi dado como desaparecido no dia 6 de junho, em Paranaguá, no litoral do Paraná, foi reencontrado pela família. A Banda B conversou com um familiar do jovem e obteve mais detalhes sobre o caso.

O menino, que não terá o nome divulgado para ter sua identidade preservada, teria sido encontrado em Curitiba, na madrugada desta terça-feira (22), a cerca de 75 quilômetros de casa, segundo o parente dele.

“Ele tinha amigos em Curitiba, fugiu e foi pra lá. Chegando no destino, ele não tinha dinheiro para voltar para casa e acabou dormindo na rua”, disse à Banda B o familiar que preferiu não ser identificado.

Foto: Reprodução/Redes Sociais

O parente também descreveu que o jovem foi encontrado em condições insalubres: “Ele estava dormindo em uma casa abandonada, passando fome, estava sujo e magro”.

Sobre o reencontro, o familiar explicou que o desfecho do caso ocorreu após uma ligação recebida pela mãe do menino revelando onde ele estava.

Entenda o caso

O garoto, de 16 anos, foi visto pela última vez no dia 6 de junho, em Paranaguá. Após tentativas de reencontrá-lo, a família registrou um Boletim de Ocorrência na Polícia Civil.

A mãe do adolescente conversou com a Banda B cinco dias após o início das buscas. À época, ela preferiu não se identificar pois estaria recebendo várias ameaças pelas redes sociais. A decisão da mulher será respeitada nesta reportagem também.

Em meio às explicações sobre a última vez que teve contato com o filho, ela afirmou que trabalha com o garoto vendendo espetinhos na cidade. Contudo, no domingo (6), em mais um dia de trabalho, o jovem a deixou sob o pretexto de que voltaria para casa. Após isso, a mãe não teve mais notícias do filho.

“Eu continuei trabalhando nesse período que ele veio para casa. Quando cheguei por volta da meia-noite, 1 hora da manhã, ele já não estava mais lá. Tinha sumido, levado roupa e um monte de coisa”, disse à Banda B no dia 11 de junho.

A mulher destacou em entrevista à reportagem que suspeitava que o filho estivesse em Pontal do Paraná, também no litoral paranaense – a cerca de 30 quilômetros de casa.

Ela também chegou a dizer que algumas amizades poderiam ter o influenciado a fugir de casa.

Sobre as ameaças sofridas durantes as buscas, a mãe revelou que muitos boatos foram divulgados nas redes sociais sobre sua relação com o filho.

“Começaram a divulgar que ele saiu porque eu o espancava. Pessoas que não me conhecem e falam muita coisa. Eu não durmo direito, tenho o procurado para baixo e para cima (sic). Ele saiu sem documento, sem dinheiro, sem nada. Não sei se está comendo, está dormindo, vivo… Hoje o IML (Instituto Médico Legal) me ligou porque alguns corpos chegaram lá sem documentos, e eu fiquei muito abalada. Está sendo uma situação muito complicada”, concluiu.





Fonte: Banda B