‘A polícia não deu explicação nem socorreu ele’, diz tio de jovem de 16 anos morto em operação policial na Penha

0
54


Thiago Santos da Conceição, de 16 anos, foi uma das três vítimas na operação “Coalizão do Bem”, realizada na manhã desta sexta-feira, dia 18, pela Polícia Civil, com apoio da Polícia Militar. Segundo seu tio, Giovani Gilson, os policiais sequer socorreram o jovem — um menino tranquilo e religioso, que fazia curso de violão online e gostava de soltar pipa, como hobbie. Como resultado da ação conjunta da polícia, além do adolescente, outras dois homens morreram: Douglas Constantino Alves, de 33 anos; e Jorge Xavier Quintanilha, de 30 anos. Uma outra pessoa levou um tiro no ombro e está no CTI do Hospital Getúlio Vargas, em estado grave. Gilson conta que, momentos antes de ser baleado, o garoto acordou, saiu do quarto e, indo em direção à janela, foi atingido na testa.

Do Rio Grande do Norte: Justiça determina retorno do miliciano Orlando Curicica para presídio no Rio

— Ele era muto tranquilo, não tinha envolvimento com nada e não tinha amizades ruins. A polícia não deu nenhuma explicação, muito pelo contrário. Nem socorrer, socorreu ele. O tiro partiu deles, a Polícia Civil era a única força”militar” que estava na comunidade naquele momento — contou o tio.

Desdobramento: Relator de processo de cassação de Dr. Jairinho na Câmara vota pela perda de mandato

De acordo com o tio, Thiago estudava no colégio estadual Souza Marques e cursava o segundo ano; era evangélico e frequentava encontros de jovens da igreja. Tamém fazia curso de arco e flecha no Recreio e alimentava o sonho de seguir a carreira militar. Em agosto deste ano, faria 17 e já realizava planos para o ano que vem: Thiago almejava tirar sua carteira de habilitação. Ultimamente, contou o tio, Thiago trabalhava no ramo de refrigeração. Gilson relata que, no momento da morte, Thiago havia acabado de levantar da cama, saiu do quarto e fechou a porta sanfonada. Quando vitou, e ia em direção à janela, levou um tiro e caiu no corredor.

Violão, que estava na parede do quarto de Thiago, com marcas de tiro Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução

— A bala passou por ele, atravessou a porta sanfonada e acertou o violão, que estava na parede. Ficaram fragmentos de projétil dentro do violão. Ele era o filho do meio e tinha mais dois irmãos.

Projétil de bala encontrado pelos familiares de Thiago, dentro da capa do violão
Projétil de bala encontrado pelos familiares de Thiago, dentro da capa do violão Foto: Arquivo Pessoal / Reprodução

Em nota, o Grupo Temático Temporário de Segurança Pública e Controle Externo da Atividade Policial (GTT-AFPF 635/MPRJ) informa que o plantão institucional recebeu comunicações que noticiaram supostas violações a direitos perpetradas no decorrer da operação referida, entre elas, a morte de um adolescente de 16 anos e a violação de domicílio de morador. Foi instaurada notícia de fato e elaborado relatório preliminar que será encaminhado para a Promotoria de Justiça de Investigação Penal com atribuição para análise. O comunicado Informa também que houve comunicação oficial das forças policiais, conforme previsto em determinação do STF.



Fonte: Fonte: Jornal Extra