Segundo dia de greve dos aeronautas começa com novos atrasos e cancelamentos de voos


Procon afirma que companhias aéreas devem prestar assistência aos passageiros para minimizar prejuízos

Renato S. Cerqueira/Futura Press/Estadão Conteúdo – 27/04/2022Movimentação na área de despacho de bagagens do aeroporto de Congonhas
Greve de aeronautas geram longas filas em aeroportos, atrasos e cancelamentos de voos

O segundo dia de greve dos aeronautas tem início nesta terça-feira, 20, com o mesmo horário do dia anterior, das seis até às oito da manhã. O sindicato nacional da categoria informa que a greve é por mais transparência nas escalas de pilotos e comissários de bordo, além de reajuste salarial para recuperação inflacionária e aumento real. Segundo a entidade, houve uma corrosão salarial de 10% nos últimos dois anos. Estão previstos novos atrasos e geração de filas em nove terminais e seis cidades: São Paulo (Congonhas, Guarulhos e Viracopos), Rio de Janeiro (Galeão e Santos Dumont), Porto Alegre, Brasília, Confins e Fortaleza. Apesar de cancelamentos de voos não estarem previstos inicialmente pelos aeroportos no primeiro dia de paralisação, algumas já foram registradas nos dois dias. No Rio de Janeiro, tanto o Galeão quanto o Santos Dumont tiveram voos cancelados para diversas partes do Brasil. Em São Paulo, pelo menos um cancelamento já está confirmado no aeroporto de Congonhas, na zona sul da cidade, nesta terça. Na segunda, 14 voos sofreram com atrasos no terminal paulista.

O Procon afirma que as companhias aéreas devem prestar assistência aos passageiros para minimizar os prejuízos. A instituição de defesa do consumidor recomenda ainda que, antes de se dirigirem aos aeroportos onde ocorrem as paralisações, que o cliente entre em contato com a companhia aérea para verificar a situação do voo. Para quem já estiver no aeroporto quando receber a notícia de atraso ou cancelamento, o Procon ainda diz que é possível guardar os comprovantes de gastos decorrentes da situação, como ligações, refeições, hospedagem e outros gastos, para tentativa de reembolso. Ainda segundo o Procon, em caso de cancelamentos, o passageiro possui alguns direitos: aviso prévio nos canais de comunicação; prioridade no próximo embarque com mesmo destino; direcionamento para outra companhia sem custos adicionais; hospedagem em hotel por conta da empresa; ressarcimento do valor da passagem.

*Com informações dos repórteres João Victor Rocha e Rodrigo Viga





Jovem Pan