São Paulo registra primeiro caso de febre amarela no Estado desde 2020


Paciente é um homem, de 73 anos, morador de zona rural na cidade de Vargem Grande do Sul

Genilton Vieira/IOC/Fiocruzmosquito transmissor da febre amarela
Mosquito Haemagogus, um dos transmissores da febre amarela e responsável pelo surto mais recente da doença

São Paulo registrou o primeiro caso de febre amarela no Estado desde 2020. Segundo a Secretaria de Estado da Saúde (SES), o paciente é um homem, de 73 anos, morador de zona rural na cidade de Vargem Grande do Sul. De acordo com a pasta ele já teve alta hospitalar. O órgão informou ainda que o Centro de Vigilância Epidemiológica (CVE) do Estado, em conjunto com a vigilância municipal, está investigando a região. A SES reforçou a importância da vacinação contra a doença e a imunização de rotina para evitar casos mais graves. Segundo a pasta, a cobertura vacinal contra a febre amarela no Estado é de 64%. O Estado viveu um surto da doença entre 2016 e 2019. A pasta destacou que a transmissão da doença não tem participação direta de macacos para seres humanos e que a infecção ocorre através de mosquitos silvestres, que vivem em zona de mata. Segundo o órgão, as equipes estaduais e municipais realizam sistematicamente a vigilância, a coleta e a identificação dos mosquitos transmissores.

 





Jovem Pan