Rosa Weber toma posse da presidência do STF nesta segunda-feira


Ministra vai entrar para o seleto grupo de mulheres a assumir o mais alto posto do judiciário brasileiro

Nelson Jr./SCO/STF – 21/10/2021A ministra Rosa Weber sentada em sua cadeira e usando um óculos com armação amarela
Ministra Rosa Weber preside sessão plenária do STF por videoconferência

A ministra Rosa Weber vai entrar para o seleto grupo de mulheres a assumir o mais alto posto do judiciário brasileiro, a presidência do Supremo Tribunal Federal (STF). A magistrada toma posse nesta segunda-feira, 12, às 17h, e se tornará a terceira mulher a assumir o posto. Antes dela, comandaram o STF as ministras Ellen Gracie e Cármen Lúcia. Rosa Weber graduou-se em Ciência Jurídicas e Sociais na Universidade Federal do Rio Grande do Sul em 1971. Gaúcha, nascida em Porto Alegre, a ministra ingressou na magistratura em 1976 como juíza do trabalho substituta. De 2006 a 2011, exerceu o cargo de ministra do Tribunal Superior do Trabalho até ser nomeada para o STF por Dilma Rousseff. Ela também presidiu o Tribunal Superior Eleitoral de 2018 a 2020. A ministra assumirá a presidência do STF e do Conselho Nacional de Justiça após 46 anos de magistratura. Ao ser eleita, Rosa Weber afirmou que pretende desempenhar a função com muita serenidade e apoio dos demais ministros. Na mesma sessão, o ministro Luís Roberto Barroso assumirá a vice-presidência do STF. O magistrado é doutor em Direito Público pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro, ex-procurador da Justiça fluminense e atuava como advogado quando foi nomeado pela ex-presidente Dilma Rousseff para o STF em 2013.

Ao todo, 1.300 pessoas foram convidadas para a cerimônia de posse, mas somente 350 terão a oportunidade de acompanhar a cerimônia no plenário. De acordo com o STF, Rosa Weber convidou todos os candidatos à presidência da República e os presidentes da Câmara, do Senado e outros parlamentares. Com isso, a solenidade pode promover o segundo encontro entre o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o presidente Jair Bolsonaro (PL), os dois principais adversários na disputa pelo Palácio do Planalto. Ambos estiveram juntos na posse do ministro Alexandre de Moraes como presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no mês passado.

*Com informações do repórter Maicon Mendes





Jovem Pan