Rio de Janeiro intensifica preparação para primeiro Réveillon sem restrições contra Covid-19


Cidade terá dez pontos de queima de fogos, incluindo o tradicional de Copacabana, que terá 25 torres de som

ALLAN CARVALHO/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDOVirada do ano de 2019 para 2020 em Copacabana
Copacabana é palco de uma das festas de réveillon mais tradicionais do Brasil

A prefeitura do Rio de Janeiro intensifica os preparativos para as festas de final de ano. 25 torres de som estão sendo montadas na praia de Copacabana, que é um dos dez pontos de queima de fogos da cidade. Além das torres de som, acontece a montagem de postos médicos móveis e banheiros químicos, bem como a instalação de sonorização e iluminação especial. Só em Copacabana, na zona sul, serão disponibilizadas dez balsas, o que deve garantir um foguetório de pelo menos 16 minutos com uma vista muito especial. No intuito de evitar aglomerações, o acesso à praia de Copacabana será restrito, como informou o prefeito Eduardo Paes. A partir das 19 horas, haverá bloqueio de carros, exceto automóveis de uso pessoal ou táxi com passageiros com comprovante de trabalho, residência ou hospedagem. Já às 20 horas, terá início o bloqueio do transporte público, ônibus e metrô. E, às 22 horas, o bloqueio será total e não será mais possível acessar o bairro com nenhum tipo de veículo. Inclusive moradores, trabalhadores e hóspedes. Além de Copacabana, haverá queima de fogos em outros nove pontos espalhados pela cidade, na tentativa de, segundo a prefeitura, evitar a necessidade de grandes deslocamentos por parte da população. As apresentações serão realizadas no Flamengo, Barra da Tijuca, Recreio, Sepetiba, no Piscinão de Ramos, Penha, Ilha do Governador, Madureira e Bangu. A prefeitura autorizou o funcionamento dos quiosques ao longo da orla carioca. A única restrição será a não utilização de cercados que possam fechar o espaço público. A fiscalização ficará a cargo da Secretaria de Ordem Pública, que vai atuar com mais de três mil agentes, entre guardas municipais e agentes de órgãos vinculados à secretaria no Réveillon.

*Com informações do repórter Mateus Koelzer





Jovem Pan