Políticos repercutem a cassação do mandato de Deltan Dallagnol; veja


Deltan Dallagnol (Podemos-PR) perdeu o seu mandato de deputado federal, nesta terça-feira (16), após decisão unânime do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O placar foi 7 a 0.

A Corte invalidou o registro de candidatura de Dallagnol, o que leva a perda do mandato na Câmara. O cumprimento da medida deve ser imediato. O ex-promotor ainda pode recorrer com embargos ao próprio TSE e ao Supremo Tribunal Federal (STF), mas perde o mandato desde já.

Os votos que ele recebeu serão computados ao seu partido.

Foi julgado um recurso foi apresentado pela federação Brasil da Esperança (PT/PCdoB/PV) no Paraná e pelo PMN, e chegou ao TSE no final de janeiro. Os partidos contestaram a condição de elegibilidade. Argumentaram, por exemplo, que ele estaria barrado pela ficha limpa, ao ter deixado a carreira de procurador tendo pendentes procedimentos administrativos no Conselho Nacional do Ministério Público (CNMP).

Veja a repercussão no mundo político:

O advogado que representa a federação, Luiz Eduardo Paccinin, afirmou que “com o julgamento de hoje, o TSE mostra que a Justiça Eleitoral não é o foro da impunidade, como sempre defendeu o ex-procurador da lava-jato. A Corte deu mais um passo histórico na garantia de que a Lei da Ficha Limpa vale para todos, sem distinção do candidato ou partido.”

“A conduta abusiva do ex-procurador na Lava-Jato é de conhecimento notório pela sociedade brasileira e era até pelo próprio Deltan, que comentava a interlocutores do medo de ser demitido. Hoje está incontroverso que sua exoneração não teve propósito honesto, mas se deu apenas para que ele fugisse das punições que certamente sofreria se ficasse no cargo. Sempre confiamos que a justiça seria feita e assim se fez”, continuou Paccinin.

Gleisi Hoffmann (PT-PR), deputada federal e presidente do Partido dos Trabalhadores: “Agora Deltan Dallagnol tem um power point pra chamar de seu! Cassado! Responde a processos administrativos pendentes como procurador, ou seja, é ficha suja. Também foi condenado pelo TCU por gastos com diárias e passagens na operação Lava Jato. Eita que dia hein?!”

Zeca Dirceu (PT-PR), deputado federal e líder do Partido dos Trabalhadores na Câmara: “Ninguém está acima da lei: Justiça determina, por unanimidade, a cassação de Deltan Dalagnol com base em denúncia por burlar a Lei Ficha Limpa!”

Renan Calheiros (MDB-AL), senador da República: “Deltan Dallagnol delinquiu no MP ávido pelo poder. Para fraudar a lei antecipou a exoneração para fugir da Ficha Limpa, mesmo com 2 condenações no CNMP — 1 de minha autoria — e 15 processos. A Justiça tarda, mas não falha. O TSE cassou o mandato do pivete ficha suja da Lava Jato.”

André Janones (Avante-MG), deputado federal: “TSE cassa o mandato do agora ex-deputado Deltan Dallagnol. Desejo sorte no exame da ordem.”

Humberto Costa (PT-PE), senador da República: “Ninguém está acima da lei: Justiça determina, por unanimidade, a cassação de Deltan Dalagnol com base em denúncia por burlar a Lei Ficha Limpa!”

Nikolas Ferreira (PL-MG), deputado federal: “É só cassar todo mundo que não tem oposição… bem democrático!”

André Fernandes (PL-CE), deputado federal: “TSE acaba de cassar o mandato do deputado Deltan Dallagnol por unanimidade. Anularam o voto de mais de 300 mil brasileiros! São 300 mil brasileiros que confiaram, acreditaram, votaram e estavam sendo representados pelo seu representante legítimo eleito democraticamente. Surreal!”

Sergio Moro (União Brasil-PR), senador da República: “É com muita tristeza que recebo a informação da cassação do mandato de deputado federal do Deltan Dallagnol. Estou estarrecido por ver fora do Parlamento uma voz honesta na política que sempre esteve em busca de melhorias para o povo brasileiro. Perde a política. Minha solidariedade aos eleitores do Paraná e aos cidadãos do Brasil.”

CNN procurou Deltan Dallagnol e aguarda retorno.





CNN Brasil