Polícia francesa investiga se mulher esfaqueada em Lyon mentiu sobre ataque antissemita | Mundo


Há quase 20 anos, em 2004, uma mulher de 23 anos também alegou ter sido vítima de um ataque antissemita no trem suburbano de Paris, por jovens imigrantes armados com facas, que desenharam suásticas em sua barriga e cortaram seu rosto. A investigação logo revelou que se tratava de automutilação e a jovem, que não era judia, recebeu uma sentença de quatro meses de prisão, mas a pena foi suspensa.



G1 Mundo