Polícia e MP cumprem mandados de busca e apreensão contra muralista Eduardo Kobra e Prefeitura de Boa Vista


“Operação Aquarela” investiga supostas irregularidades no contrato para a pintura de um mural

Reprodução/Redes sociaisIguana do Eduardo Kobra
Assinado por Kobra e realizado por uma equipe dele, o mural, que fica no Parque do Rio Branco, representa uma iguana

A Polícia Civil e o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) do Ministério Público de Roraima deflagraram, nesta sexta-feira, 22, a “Operação Aquarela”,  que investiga supostas irregularidades no contrato para a pintura do mural do artista brasileiro Eduardo Kobra. Na ação, foram cumpridos quatro mandados de busca e apreensão. Assinado por Kobra e realizado por uma equipe dele, o mural, que fica no Parque do Rio Branco, representa uma iguana. A obra teve um investimento de R$ 400 mil por parte da Prefeitura de Boa Vista e foi entregue em dezembro de 2020. No entanto, quatro meses depois, em abril de 2021, o mural estava deteriorado. Por conta disso, a equipe do muralista restaurou o painel em maio. Agora, a operação tem por objetivo investigar a contratação de Kobra pela prefeitura. A suspeita é de que houve superfaturamento de contrato de serviço e que o mural não foi entregue como pedido.





Jovem Pan