PF prende mais três suspeitos pela morte de Bruno e Dom Philips em operação contra pesca ilegal

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Investigações no Vale do Javari começaram em paralelo ao assassinato do servidor da Funai e do jornalista; filho e irmãos de Amarildo estão entre os detidos

SUAMY BEYDOUN/AGIF/ESTADÃO CONTEÚDO – 08/06/2022 Fachada da Polícia Federal no Amazonas
AM – MANAUS, CASO BRUNO E DOM DESAPARECIDOS, COLETIVA DE IMPRENSA – GERAL – MANAUS, CASO BRUNO E DOM DESAPARECIDOS, COLETIVA DE IMPRENSA – Fachada da Sede da Policia Federal do Amazonas na cidade de Manaus, onde ocorreu na tarde desta quarta-feira (08) coletiva de imprensa com representantes dos órgãos responsáveis pelas buscas ao jornalista britânico Dom Phillips e o Indigenista Bruno Pereira, que desapareceram no último domingo (05) na região do Vale do Javari próximo a cidade de Atalaia do Norte no interior do Amazonas. 08/06/2022

A Policia Federal do Amazonas cumpriu neste sábado, 6, sete mandados de prisão e prendeu mais três suspeitos pela morte de Bruno Perreira, servidor da Funais, e Dom Philips, jornalista britânico, em operação contra pesca ilegal no Vale do Javari, no Amazonas. Entre os presos estão três familiares de Amarildo de Freitas Oliveira, o “Pelado”, envolvidos com a ocultação dos corpos. Amarílio de Freitas Oliveira, conhecido como “Dedei” e filho de Amarildo, foi preso de madrugada em uma danceteria em Atalaia do Norte. Jeferson da Silva Lima, conhecido como “Pelado da Dinha” e Oseney da Costa de Oliveira, o “Dos Santos”, irmão de Amarildo, são os outros detidos. Dez mandados de busca e apreensão também foram realizados. Todos estão sendo investigados por associarem-se a “Colômbia” visando a realização de pesca ilegal na região. De acordo com a PF, a equipe conseguiu identificar a real identidade do indivíduo de alcunha “Colômbia”. Trata-se de Ruben Dario da Silva Villar, um cidadão colombiano que utilizava documentos ideologicamente falsos, como carteira de identidade brasileira e documento de identidade peruano, dentre outros. Com o avanço das investigações, a PF identificou fortes indícios de que “Colômbia” seria líder e financiador de uma associação criminosa armada dedicada à prática da pesca ilegal na região do Vale do Javari, responsável por comercializar grande quantidade de pescado que era exportado para países vizinhos. Segundo a PF, a operação de pesca ilegal foi aberta em paralelo ao assassinado de Bruno e Dom. Por meio das investigações, descobriram que o servidor da Funai era alvo da quadrilha e foi morto porque combatia a pesca ilegal na região. Dom foi executado porque estava com Bruno. As investigações prosseguem para o total esclarecimento do caso.





Jovem Pan