PF deflagra operação contra venda de ouro ilegal em Roraima


Segundo investigação, grupo teria movimentado mais de R$ 422 milhões vendendo mineral extraído de forma ilícita

Divulgação/Polícia FederalPolícia Federal deflagra quarta fase da operação Lesa Pátria, com o objetivo de identificar mais pessoas envolvidas nos atos de vandalismo do dia 8 de janeiro em Brasília
Agentes da PF cumpriram 13 mandados de busca e apreensão em Roraima, São Paulo e Goiás

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta terça-feira, 14, a Operação Avis Aurea, que pretende investigar uma organização criminosa envolvida com compra de ouro ilícito em Roraima. Ao todo, estão sendo cumpridos 13 mandados de busca e apreensão em Roraima, São Paulo e Goiás, todos expedidos pela 4ª Vara Federal Criminal da Justiça Federal de Roraima. Entre os investigados estão empresários, advogados e um servidor público de Boa Vista, capital do Estado. Uma das empresas suspeitas de integrar o esquema já esteve envolvida em uma ação da PF que aprendeu 111 kg de ouro em um avião em Goiás. A estimativa é de que o grupo tenha movimentado R$ 422 milhões em cinco anos. A investigação começou após a apreensão e R$ 4 milhões pela Polícia Rodoviária Federal em Cáceres (Mato Grosso). No inquérito, foi identificado que o montante fazia parte de um esquema maior.

Uma parte da organização estaria sediada em Roraima e receberia valores de outros locais, oriundos de pessoas físicas e jurídicas interessadas em adquirir ouro provenientes de garimpos ilegais. Os valores eram movimentados por vias terrestres, indo das regiões Sudeste e Centro-Oeste, principalmente, até Boa Vista. O ouro era transportado em aviões, com o grupo contando com o apoio de um funcionário de uma companhia aérea.





Jovem Pan