MPF se manifesta contra a saída do filho de Sérgio Cabral da cadeia


Órgão não quer a revogação da prisão de Zé Cabral e outros 10 detidos na semana passada durante a operação Smoke Free

Reprodução/Jovem Pan News/Jornal da ManhãJosé Eduardo Neves Cabral, filho do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral
José Eduardo Neves Cabral, filho do ex-governador do Rio de Janeiro, Sérgio Cabral

O Ministério Público Federal (MPF) quer que Zé Cabral, filho do ex-governador do Rio de Janeiro Sérgio Cabral, permaneça preso e se manifestou contra a revogação da prisão dele e outros 10 detidos na semana passada durante a operação Smoke Free, que descobriu um esquema ilegal de compra e venda de cigarros. O contrabando causou um prejuízo de mais de R$ 2 bilhões aos cofres públicos em sonegação fiscal. Segundo as investigações do MPF, Zé Cabral recebeu mais de R$ 3 milhões por meio de sua empresa de eventos para organizar uma festa no hotel Copacabana Palace para o principal alvo da operação, conhecido como Adilsinho, que permanece foragido. O investigado fez uma festa de alto luxo, com dezenas de convidados, buffet de requinte e artistas de alto cachê. Diante do recebimento deste dinheiro e de sua ligação próxima dom Adilsinho, o MPF entende que não há motivos para revogar a prisão de Zé Cabral, que inclusive foi apontado como gerente do esquema de compra e venda ilegal de cigarros. No âmbito da operação Smoke Free foram expedidos ao todo mais de 20 mandados de prisão e 50 de busca e apreensão, nos quais 21 pessoas foram detidas, além de 15 policiais militares.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga





Jovem Pan