MP recusa prisão de estudante da USP e devolve inquérito à Polícia Civil


Polícia Civil havia pedido prisão preventiva da aluna, que foi indiciada por nove apropriações em concurso material; ela é investigada por desviar quase R$ 1 milhão de um festa de formatura alunos de medicina da USP

Reprodução/Facebook/Alicia Dudy Müller VeigaAlicia Dudy Müller Veiga, de 25 anos, que é investigada por ter desviado R$ 920 mil do fundo de formatura de sua turma na faculdade
Alicia investigada por desviar R$ 973 mil de uma festa de formatura promovida pela sua turma

O Ministério Público de São Paulo (MPSP) recusou o pedido de prisão preventiva de Alicia Dudy Muller Veiga, de 25 anos, estudante de medicina da USP. Ela é investigada por desviar R$ 973 mil de uma festa de formatura promovida pela sua turma. A Polícia Civil havia solicitado a prisão à Justiça nesta terça-feira, 31. Segundo a Secretaria de Segurança Púbica de São Paulo (SSP), o caso foi investigado através de inquérito policial instaurado pelo 16º Distrito Policial (Vila Clementino). A aluna foi indiciado nesta segunda-feira, 30, por nove apropriações em concurso material. No entanto, o MP entende que o caso se enquadra no artigo 171 do Código Penal, que consiste na prática de golpes. A pena é de um a cinco anos de reclusão. “Diferentemente do que ocorre em relação à apropriação indébita, no estelionato a lei exige representação criminal dos ofendidos para oferecimento de denúncia contra a autora dos fatos”, disse o promotor de Justiça Fabiano Pavan Severiano.  Em razão disto, o MP optou por devolver o inquérito à polícia para colheita de representação criminal das vítimas [os alunos] em desfavor da investigada, para que se discrimine de forma individual o prejuízo suportado por cada uma delas”.

Alícia teria feito apostas em lotéricas, jantares, aluguel de carros de luxo, de frete, comprou equipamentos eletrônicos, gastando quase R$ 1 milhão que bancaria a formatura de centenas estudantes de medicina da USP. Tudo usado para pagar gastos pessoais. Depois de mais de quatro horas de depoimento na última quinta-feira, 19, a estudante confessou os desvios.

 





Jovem Pan