Manifestantes franceses invadem prédio da Euronext em fúria contra a lei previdenciária 


Um grupo de manifestantes entrou nos escritórios da operadora do mercado de ações Euronext no distrito comercial La Defense de Paris na quinta-feira (20 de abril), dizendo que grandes empresas devem pagar para financiar pensões, como parte de protestos mais amplos contra um aumento impopular da idade de aposentadoria, proposto pelo presidente Emmanuel Macron.

“O símbolo da bolsa de valores é o símbolo de quem não tem noção de dinheiro, é o símbolo de quem brinca com a nossa vida apertando botões. É o símbolo de quem sempre põe mais no bolso, sem nunca redistribuir”, disse o sindicalista da Sud-Rail, Fabien Villedieu.

Ele disse que as pensões deveriam ser financiadas pela tributação dos bilionários.

Agitando bandeiras sindicais, o grupo de 200 a 300 manifestantes ocupou brevemente o saguão da Euronext, engolfado pela fumaça vermelha dos sinalizadores, e entoou palavras populares entre os manifestantes previdenciários: “Estamos aqui, estamos aqui, mesmo que Macron não queira, estamos aqui.”

No início deste mês, cenas semelhantes ocorreram nos escritórios da empresa de gestão de investimentos BlackRock em Paris.

Macron sancionou no fim de semana um aumento na idade de aposentadoria, o que significa que os cidadãos devem trabalhar mais dois anos, para 64 anos, antes de receber sua pensão do estado.

Isso foi depois de três meses de protestos que mobilizaram grandes multidões e às vezes se tornaram violentos. As pesquisas de opinião mostram que a grande maioria dos eleitores se opõe à reforma.

(Com participação de Lucien Libert, Yiming Woo e Noemie Olive)



CNN Brasil