Laboratório pede aprovação à Anvisa para vacina bivalente da Moderna contra Covid-19


Imunizante que utiliza a tecnologia de RNA mensageiro combate tanto a cepa original do vírus da Covid-19 quanto as subvariantes Ômicron

EFE/EPA/HOTLI SIMANJUNTAKCrianças com mais de seis anos poderão ser vacinadas com CoronaVAc no Chile
Imunizante protege tanto contra o vírus original quanto contra as subvariantes Ômicron

A farmacêutica Zodiac, que representa a Moderna no Brasil, submeteu nesta sexta-feira, 20, para aprovação da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) o registro definitivo da vacina bivalente da Covid-19. O imunizante protege tanto contra o vírus original quanto contra as subvariantes Ômicron BA.4/BA.5, para todos os indivíduos a partir dos 6 anos. A empresa é responsável por desenvolver imunizantes dentro da tecnologia do RNA mensageiro. Em nota, o CEO da Zodiac, Alexandre Seraphim, afirmou estar entusiasmado com o avanço para inserir a vacina no país. “Estamos entusiasmados em avançar mais uma etapa, apresentando todos os documentos e informações necessárias para que a avaliação da Covid-19 bivalente seja realizada pela Anvisa, e para que a população brasileira tenha, em breve, acesso a uma vacina bivalente, eficaz e com a mais alta tecnologia em sua concepção”, destacou. “A submissão para aprovação definitiva à Anvisa aumenta o compromisso do Zodiac em combater a Covid-19 no país, com o objetivo de proporcionar uma vacinação atualizada, segura e eficaz para proteger contra as subvariantes BA.4 e BA.5 da Ômicron, e outras que possam surgir devido à evolução viral”, completou Thiago Barbosa, diretor da unidade de vacinas da Zodiac no Brasil. Em todo o mundo, a Moderna já recebeu autorizações definitivas ou emergenciais para a vacina bivalente contra Ômicron. Entre os países incluídos estão Estados Unidos, Austrália, Argentina, Canadá, Chile, Europa, Japão, Panamá, Coreia do Sul, Suíça, Singapura, Taiwan, e Reino Unido. 





Jovem Pan