Jihad Islâmica: o que é o grupo extremista que Israel acusa de ser responsável por ataque a hospital




O Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, afirmou que cerca de 500 pessoas morreram em um ataque ao hospital Ahli Arab, na cidade de Gaza. Integrante da Jihad Islâmica durante ato anti-Israel realizado em 6 de outubro de 2023
Mohammed Salem/Reuters
O grupo extremista Jihad Islâmica Palestina negou nesta terça-feira (17) que seja o responsável pelo bombardeio que atingiu o hospital Ahli Arab, na cidade de Gaza. Segundo o Ministério da Saúde de Gaza, controlado pelo Hamas, cerca de 500 pessoas morreram.
A organização foi acusada pelas Forças de Defesa israelenses, depois que o Hamas apontou Israel como o autor do ataque.
O que é a Jihad Islâmica Palestina
A Jihad Islâmica Palestina é um grupo radical islâmico fundado na década de 1980, no Egito, por estudantes universitários de Gaza, com o objetivo de formar um estado palestino nas regiões de Gaza, Cisjordânia e partes de Israel.
Bem menor do que o Hamas, não participa de eleições e foca no combate armado contra Israel. É considerado um grupo terrorista também pelos Estados Unidos, União Europeia e Israel.
Ao longo do tempo, assumiu ataques suicidas e terroristas e não reconhecem a existência do Estado Israelense.
No ataque do dia 7 de outubro, uniu-se à ação do Hamas, de quem recebe apoio público. Ambos compartilham o ideal de luta contra Israel, mas nem sempre concordam em todas as decisões.
Segundo a agência de notícias Associated Press, até maio o Hamas pedia que o grupo adotasse maior moderação em sua postura.
Com uma fundação inspirada pela Revolução Islâmica no Irã, a Jihad Islâmic Palestina mantém relações próximas com o país. De acordo com a rede de televisão Al Jazeera, o Irã fornece armamentos, treinamento e financia as atividades do grupo.



G1 Mundo