Entrevistas e livro de memória transformam testemunha em suspeito da morte de Tupac; entenda




Duane Davis, nome de guerra Keffe D, 60 anos, foi preso e acusado pelo assassinato de Tupac Shakur. A prisão aconteceu nesta sexta-feira (29) em Las Vegas. Entrevistas e livro de memória transformam testemunha em suspeito da morte de Tupac
Foi preso nesta sexta-feira (29) em Las Vegas o suspeito de ter matado Tupac Shakur — artista seminal do rap que, em cinco anos de carreira, vendeu mais de 75 milhões de discos. O crime que chocou os Estados unidos aconteceu há 27 anos.
Duane Davis, nome de guerra “Keffe D”, de 60 anos, foi preso e acusado pelo assassinato de Tupac Shakur. Segundo o promotor, ele obteve a arma que matou o rapper, uma pistola glock.
Keffe foi indiciado por assassinato com arma mortal – pois mesmo que não tenha sido ele quem disparou, ele estava no carro comandando a ação. O surpreendente é que o caso voltou a ser investigado porque Duane Davis deu detalhes do crime em entrevistas e no livro de memórias dele publicado há quatro anos, mas ele dizia ser apenas uma testemunha.
Foi só em julho deste ano que a polícia de Las Begas fez uma busca na casa dele e encontrou novas provas. Agora ele está preso sem possibilidade de fiança e irá a julgamento
Homem suspeito de envolvimento na morte de Tupac Shakur, em 1996, é preso
Reprodução/TV Globo
O dia do ocorrido
Davis estava com o sobrinho e mais dois asseclas num cadillac branco que emparelhou com a BMW do Tupac na noite de 7 de setembro de 1996 em Las Vegas. No tiroteio, Tupac levou quatro tiros e morreu quatro dias depois. Ele teve uma carreira meteórica e se tornou o primeiro artista solo de hip-hop a conquistar um lugar no hall da fama do rock and roll.
O sobrinho de Davis e os outros dois morreram alguns anos depois e a polícia nunca resolveu o caso. Foi só com as declarações do próprio Davis que acabaram concluindo pela culpa dele. Davis era da gangue crips e passou 15 anos preso por tráfico de drogas. Agora pode pegar a pena de morte, ou pelo menos prisão perpétua.
rapper Tupac Shakur, morto em 1996.
Reprodução/TV Globo
A morte de Tupac e do rival dele, Notorious Big, meses depois, em circunstâncias parecidas, marcaram a história do hip hop. A morte de Big nunca foi esclarecida.
LEIA TAMBÉM:
Quase 30 anos após morte de Tupac, polícia realiza novas buscas relacionadas a assassinato do rapper



G1 Mundo