Comissão de parlamentares vai a Roraima para fiscalizar saída de garimpeiros das terras Yanomami


Senadores defendem que grupo de 20 mil pessoas precisa de ajuda para deixar o território com suas famílias

Ministério do Meio Ambientegarimpo garimpeiros
Garimpeiros trabalham em lavra a céu aberto na extração de ouro

Uma comissão externa formada por senadores e deputados do Estado de Roraima viaja nesta quinta-feira, 9, para as terras Yanomami para fiscalizar a saída de garimpeiros do território. O grupo irá se encontrar na região de Surucucu com membros do Ministério da Defesa, que já estão na região. O requerimento para formação da comissão e cumprimento da atividade foi apresentado pelo senador Mecias de Jesus (Rep-RR). A comissão deverá acompanhar a situação no território indígena pelos próximos 120 dias. Fazem parte do grupo o senador Chico Rodrigues (PSB-RR) e Iran Gonçalves (PP-RR). Segundo eles, a crise humanitária precisa ser acompanhada de perto, não só os indígenas, mas também os mais 20 mil garimpeiros que, de acordo com eles, precisam de apoio para sair da região. Mecias de Jesus defende que não são somente os trabalhadores do garimpo que estão envolvidos na questão, mas também crianças, jovens e idosos que estão isolados desde o dia 30 de janeiro, quando os tráfegos aéreo e fluvial da região foram bloqueados.

“Os Yanomamis merecem todo o nosso apoio. Os garimpeiros que estão lá não são bandidos, são trabalhadores, os verdadeiro dono dos garimpos já fugiram. Quem está lá, precisando sair, são aqueles que trabalham por uma grama de ouro para sustentar a sua família”, diz Mecias de Jesus. Os senadores do grupo afirmam que o problema antigo e que o estado de Roraima é foco de uma imigração grande de venezuelanos, que aumentou em cerca de 10% a população em situação de vulnerabilidade.

*Com informações da repórter Berenice Leite





Jovem Pan