Buscas por desaparecidos em deslizamento na BR-376 entram no terceiro dia


Condições climáticas desfavoráveis e risco de novos deslizamentos dificultam a atuação das equipes de busca na região atingida

DivulgaçãoDeslizamento BR-376
Deslizamentos aconteceram na noite de segunda e na madrugada de terça-feira

Agentes do Corpo de Bombeiros e da Defesa Civil retomaram na manhã desta quinta-feira, 1º, os trabalhos de buscas por vítimas do deslizamento de terra que atingiu a BR-376, em Guaratuba, no Paraná, na tarde da última segunda-feira, 28. Segundo as entidades, os trabalhos foram retomados por volta das 6h30. O foco deste quinta-feira é iniciar as operações na região mais sensível da ocorrência, que é a parte em que a lama soterrou os veículos. A avaliação das autoridades é que a missão é “sensível e demorada, por causa do constante risco que as equipes estão expostas” e a estimativa é que aproximadamente 5 mil metros cúbicos de terra devam ser removidos. As equipes contam com auxílio de máquinas, guinchos, caminhões e cães de buscas para ajudar na remoção dos entulhos e localização dos sobreviventes. Serviço de drenagem em pontos alagados também busca mitigar novos desmoronamentos.

Durante a madrugada, bombeiros e equipes da concessionária Arteris Litoral Sul conseguiram avançar na limpeza da rodovia no sentido norte. De acordo com último boletim do gabinete de crise do Estado, cerca de 7 mil metros cúbicos de lama já foram retirados do local. Até o momento, não há atualizações sobre novos sobreviventes, mas a estimativa de potenciais vítimas foi reduzida para menos de 30 pessoas. “Por causa do grande volume de terra, ainda não é possível especificar com exatidão a quantidade de veículos e vítimas que podem estar soterrados no local”, reforça comunicado. Desde o início das buscas, seis pessoas foram resgatadas com vida e dois corpos foram encontrados pelas autoridades. Ao menos seis caminhões e ao menos 10 carros foram arrastados ou soterrados pelo deslizamento.

Nesta quarta, um drone com câmera termal foi utilizado no local do deslizamento, mas não localizou calor de possíveis sobreviventes da tragédia. Ao todo, 54 bombeiros do Paraná participam das buscas ao lado de engenheiros e geólogos. Entretanto, o Corpo de Bombeiros afirma que o trabalho de buscas passa por dificuldades, já que as condições climáticas são adversas e que ainda existem riscos de novos deslizamentos. Para esta quinta-feira, a previsão é condição atmosférica mais estável, o que pode permitir um avanço na realização dos serviços de limpeza, de busca e de resgate. A Defesa Civil da região alerta ainda para o risco de desabamento da pista, uma vez que o peso do montante de lama estaria sobrecarregando a via.





Jovem Pan