Autoridades negam relação de saques durante incêndio no Ceasa com ‘clima político’ pós-eleição


Causas do incidente estão sendo investigadas pela Defesa Civil e pelo Corpo de Bombeiros do Estado do Rio de Janeiro

Reprodução/Twitter/Cid_MartinsIncêndio no Ceasa Rio de Janeiro
Ceasa do Rio de Janeiro teve incêndio controlado na última segunda-feira, 31

Na tarde da última segunda-feira, 31, um incêndio em dois depósitos  do Ceasa do Rio de Janeiro foi controlado. A central de abastecimento, que fica no bairro do Irajá, na zona norte da capital fluminense, é considerada uma das maiores da América Latina. A unidade é cercada por diversas comunidades dominadas pelo tráfico. O incêndio começou pela manhã e logo se espalhou. Houve relatos de saques nas lojas atingidas pelas chamas. Seguranças dispararam tiros de armas de fogo para o alto para dispersar os vândalos. Ninguém ficou ferido. Segundo o major do Corpo de Bombeiros Fabio Contreras os saques não possuem relação com a política e as eleições presidenciais. “Não há relação. A equipe está focada no incêndio, em retirar possíveis vítimas do local, na segurança dos proprietários das lojas e dos trabalhadores”, disse. As causas do incêndio estão sendo investigadas pelos Bombeiros e pela Defesa Civil. Os incêndios são considerados frequentes no Ceasa já que há lojas funcionando de forma irregular. A central alimenta a capital e a Baixada Fluminense, além do Grande Rio

*Com informações do repórter Rodrigo Viga





Jovem Pan