Nevasca nos EUA ameaça viagens dos americanos e pode derrubar temperaturas para -50º C


Presidente Joe Biden pediu para as pessoas prestarem atenção aos avisos locais, já que os impactos da tempestade são ‘perigosos e ameaçadores’

John Normile / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / Getty Images via AFPnevasca nos EUA (1)
Serviço Nacional de Meteorologia alerta para ventos uivantes de até 97 km/h

Os Estados Unidos se preparam para uma poderosa tempestade de inverno que deve atingir o país no final de semana e ameaça viagens de festa de final de ano de milhões de americanos. Só nesta quinta-feira, 22, segundo a plataforma FlightAware, mais de três mil voos foram cancelados, incluindo quase mil partidas e chegadas em dois grandes aeroportos de Chicago. No total, cerca de 112 milhões de americanos devem percorrer ao menos 80 km entre 23 de dezembro e 2 de janeiro, segundo a entidade, o terceiro número mais alto desde o início dos registros em 2000. Mais da metade dos 48 estados estavam sob alertas climáticos de inverno, incluindo alerta de vento frio afetando cerca de 135 milhões de pessoas, disse Ashton Robinson Cook, meteorologista do serviço meteorológico. O National Weather Service (NWS) – Serviço Nacional de Meteorologia, na tradução -, aponta que as regiões mais frias do país podem ter ventos frios abaixo de 50 graus negativos. Na região das Grandes Planícies, espera-se que a temperatura caia bruscamente em poucas horas e atinja até -55°C.

Esse fenômeno, conhecido como ciclone-bomba se desenvolvesse a partir de um sistema de “baixa pressão que se aprofunda rapidamente”, disse o NWS, acrescentando que ele pode gerar nevascas de 1,25 cm por hora e ventos uivantes de até 97 km/h, produzindo condições de nevasca e visibilidade quase zero. Combinado com o frio ártico, fatores de resfriamento de vento tão baixos quanto 40 graus abaixo de zero Fahrenheit (menos 40 graus Celsius) foram previstos nas Planícies Altas, nas Montanhas Rochosas do norte e na Grande Bacia, disse o NWS. A exposição a tais condições sem proteção adequada pode causar congelamento em minutos. Diante deste cenário, o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, fez um pedido para os cidadãos. “Se todos vocês têm planos de viagem, saiam agora, não é brincadeira”, disse o chefe de Estado, pedindo que as pessoas prestarem atenção aos avisos locais, já que os impactos da tempestade são “perigosos e ameaçadores”. “Não é como um dia de neve quando você era criança”, disse Biden no Salão Oval após um briefing de autoridades federais.

O serviço de meteorologia informou, por meio de uma publicação no Twitter, que o vento “só aumentará, especialmente na sexta-feira, levando a áreas de neve e baixa visibilidade. Com temperaturas baixas”, escreveram. “Bolsas de neve moderada continuam em partes do nordeste de Illinois esta tarde, com a visibilidade bastante reduzida devido aos fortes ventos que sopram neve ao redor. As condições das estradas continuarão a se deteriorar esta tarde, à medida que aumenta o potencial de congelamento rápido”, alertou em outra publicação. É “uma tempestade única em uma geração”, alertou o escritório do NWS de Búfalo, cidade do norte do estado de Nova York. As rajadas de vento podem provocar quedas de árvores e cortes de energia. O site meteorológico privado AccuWeather aponta a possível formação de uma “bomba ciclônica”, pelo encontro de ar polar com uma massa de ar mais quente, gerando uma queda da pressão muito rápida. De acordo com o NWS, alertas de clima frio vão desde a fronteira com o Canadá até a costa do Golfo do México no Texas. A neve não é o mais preocupante dessa tempestade, mas sim as baixas temperaturas e os ventos.

 

*Com informações da Reuters e AFP





Source link