Irmãos são resgatados com vida dos escombros na Turquia após 198 horas do terremoto; veja vídeo


Muhammed Enes e Abdulbaki Yeniar, de 17 e 20 anos, respectivamente, foram enviados para o hospital, com diferentes graus de ferimentos; outro jovem de 18 anos também foi encontrado

Reprodução/Twitter/@BrasilCloser/Canli24
irmãos resgatados com vida
Irmão passaram 198 hora embaixo dos escombros na Turquia

Após 198 horas do terremoto da Turquia e na Síria, três homens foram resgatados dos escombros nesta terça-feira, 14. Os irmãos Muhammed Enes e Abdulbaki Yeniar, de 17 e 20 anos, respectivamente, estavam na cidade de Kahramanmarash e foram enviados para hospitais, com diferentes graus de ferimentos. Muhammed Cafer Çetin, de 18 anos, estava na cidade de Adiyaman. Os resgates aconteceram nove dias depois do desabamento de milhares de edificações em dez províncias da Turquia, onde, em pouco tempo, mais de 80 mil sobreviventes foram localizados entre os escombros. Diante das poucas chances de que se encontre alguém com vida sob os escombros, os trabalhos de resgate pararam em várias localidades e várias equipes estrangeiras voltaram para os países de origem. Apesar das equipes de resgate seguirem buscando por sobreviventes, o foco agora se concentra em fornecer alimentos e refúgio aos desabrigados. Máquinas pesadas começaram a retirar os destroços das edificações que desabaram. Segundo o vice-presidente da Turquia, Fuat Oktay, até o início da madrugada, foram montados campos com tendas de campanha em 257 pontos de uma superfície de 110 quilômetros, nas dez províncias mais afetadas do país. Além disso, foi completada a infraestrutura de 27 “cidades” de contêineres, com o objetivo de alocar de 150 mil a 200 mil desses equipamentos. “Temos cidades de contêineres de aproximadamente 4,9 mil contêineres. Já há cerca de 20 mil pessoas alojadas”, afirmou Oktay. O custo econômico da catástrofe pode superar 84 bilhões de dólares, incluindo US$ 70 bilhões que corresponderiam às moradias, de acordo com a federação empresarial Turkonfed.





Source link