Dilma defende independência do dólar em encontro com Putin


Dilma Rousseff em encontro com Vladimir Putin
Creative Commons

Dilma Rousseff em encontro com Vladimir Putin

A ex-presidente Dilma Rousseff (PT), atual chefe do Banco dos “Brics”, se reuniu com o presidente da Rússia, Vladimir Putin, em São Petersburgo, nesta quarta-feira (26). O encontro aconteceu durante a 2ª Cúpula Rússia-África no país, onde Dilma também tem marcado na agenda oficial, uma reunião com o presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa.

Dilma assumiu a liderança do NDB (Novo Banco de Desenvolvimento) em março, com o objetivo de expandir e fortalecer o banco. A ex-presidente do Brasil, também tenta promover a ideia de que os membros possam realizar transações em suas moedas locais.

“Não tem nenhuma justificativa para que os países em desenvolvimento não possam estabelecer entre si troca em moeda local. A nossa estratégia 2022-2026 estabelece que 30% das nossas captações têm de ser em moeda local”, disse.

Um dos grandes desafios de Dilma no comando do bloco está relacionado diretamente à situação da Rússia, que enfrenta sanções internacionais e uma intensa pressão diplomática e financeira por parte dos Estados Unidos e da Europa, após invasão da Ucrânia.

Moscou alega que as sanções não estão afentando a economia do país e que tem conseguido sobreviver às tentativas de asfixia. Tudo isso, “graças às suas relações com a Ásia e os demais países dos Brics”. Putin ressaltou que os “membros dos Brics não são inimigos de ninguém” e que “o dólar” tem sido usado como “instrumento político”.





IG Último Segundo