Deyverson diz que procurou ajuda psicológica para ajustar temperamento


Deyverson diz que procurou ajuda psicológica para ajustar temperamento
Reprodução: Placar

Deyverson diz que procurou ajuda psicológica para ajustar temperamento

Aos 32 anos, atacante vive seu melhor momento na carreira com a camisa do Cuiabá - Alexandre Battibugli/Placar

O atacante Deyverson, do Cuiabá, assegura viver hoje o seu melhor momento tanto na vida pessoal, como dentro dos gramados. Autor de 14 gols na temporada, a melhor marca desde o início no futebol em 2012, no Mangaratibense-RJ, o jogador contou à PLACAR ter procurado ajuda psicológica para compreender melhor os erros do passado.

“Comecei há pouco tempo, minha esposa que arranjou para mim. Foi esse ano, acabou virando uma amiga. Com o tempo se torna também uma amizade. É sensacional, tem me ajudado bastante, tem me acalmado bastante. As pessoas que me veem pela televisão acham que o cara é desse jeito, mas muitas das vezes passamos dos limites na forma de expressar, de falar ou dentro de casa mesmo, entendeu? Isso tem me ajudado bastante a ter tranquilidade para viver o meu familiar, para ter mais profissionalismo. A psicóloga tem me ajudado. A minha esposa também faz, assim como a filha dela”, disse o jogador.

“É por telefone, ela é de São Paulo. Todos acham que vida de jogador é mil maravilhas. Ah, o cara ganha milhões, trilhões, tem todo o glamour… e a gente não tem sentimentos? A gente não sofre? Não chora? A gente não vive momentos difíceis? Até porque eu sempre falei nas minhas entrevistas que o dinheiro não é tudo. O dinheiro ajuda a comprar uma roupa que sempre sonhou, a ir a um parque que sempre quis ir, a comprar um biscoito que era sonho de criança e não tinha condições. Isso ajuda, mas não é tudo. Tudo é ter saúde. Quantas pessoas têm dinheiro e hoje não tem sua vida? Quantas pessoas têm dinheiro e estão deitadas em uma cama? Entendeu? Dinheiro não é tudo, dinheiro ajuda. Ajuda se a pessoa continuar vivendo um pouco mais, mas o mais importante de tudo é a saúde. A saúde faz você ter a possibilidade de conquistar aquilo que você sempre sonhou”, completou.

‘Chutei todo errado’: Deyverson lembra gol do título da Libertadores

Deyverson diz carregar uma única mágoa por saída do Palmeiras

Deyverson canta funk e provoca Gabigol: ‘Quem tem mais gols na Europa?’

Deyverson descarta futuro como treinador: ‘Não entendo nada de futebol’

A melhora comportamental de que o jogador fala é nítida para quem o acompanha e, segundo ele, também tem uma protagonista: Karina Alexandre. Casada com o jogador desde abril de 2021, a médica veterinária é apontada como o grande ponto de virada na carreira e na vida. “Família é minha esposa”, repetiu ele várias vezes durante a conversa.

As simulações de falta de Deyverson foram o principal “motivo de chacota” envolvendo o jogador. O ápice aconteceu na final da Libertadores de 2021, quando, ao receber um toque nas costas do árbitro argentino Néstor Pitana, se jogou no chão pensando ter sido tocado por um adversário. Não teve jeito: as cenas viralizaram.

Os gols muitas vezes conviveram com confusões com adversários, entradas mais duras, expulsões – 10 ao todo – e provocações além da conta. Até Felipão, que sempre o protegeu, chegou a cobrar publicamente uma mudança de postura. Fora de campo, a vida também era desregrada. “Dei prioridade a muitas coisas em vez da minha família. Hoje ela é prioridade”.

Dois momentos que o envergonham: quando cuspiu em adversários. Primeiro, no zagueiro uruguaio Godín, do Atlético de Madri, quando Deyverson defendia o Alavés, em 2017. Depois, no volante Richard, então no Corinthians, em 2019. “Eu peço desculpas até hoje quando jogo contra o Richard. Eu sei que errei, que eu falhei, mas sei que a marca fica porque os vídeos continuam. Com o Godín é a mesma coisa, eu pedi desculpas a ele quando veio jogar no Brasil também. Foram atitudes muito feias.”

Nesta semana, PLACAR divulgou outros trechos da entrevista, tanto no site quanto no canal de YouTube Placar TV. No papo, ele conta como trocou as polêmicas pelo que diz ser a melhor fase da vida – dentro e fora dos gramados.

O atleta também fala da importância da esposa Karina Alexandre em sua transformação, recorda de conselhos importante de Felipão, amigos que rompeu relações, a rixa com Gabigol, a idolatria a Neymar, momentos de brilho na Europa, o futuro após o futebol, o projeto para chegar à seleção brasileira e sobre os momentos inesquecíveis da carreira.



Portal IG