Com sistema de saúde colapsado, Gaza pede ajuda para operar feridos


Sistema de saúde de Gaza está colapsado
Divulgação/Ministério da Saúde palestino

Sistema de saúde de Gaza está colapsado

O Ministério da Saúde palestino afirmou nesta quinta-feira (12) que as equipes médicas de cirurgia dos hospitais da Faixa de Gaza “estão sob forte pressão” pelo  alto número de feridos pelos ataques israelenses
na região em decorrência da guerra entre o grupo armado palestino Hamas e Israel.

Mais cedo, a pasta já havia afirmado que o sistema de saúde local está colapsado. Em nota, o ministério agora pede ajuda internacional para lidar com o alto número de feridos, que já ultrapassa 6 mil.

Segundo o diretor do Departamento de Operações do Ministério da Saúde, Hani Hamada, centenas de feridos em “estado crítico” esperam em longas filas para conseguirem ser operados.

“As equipes de operações trabalham 24 horas por dia e sofrem de forte exaustão devido ao grande número de operações”, diz o ministério.

Hamada apelou para que haja uma “intervenção rápida” para salvar os feridos em Gaza. O diretor pede a abertura de corredores humanitários para que materiais médicos e profissionais da saúde consigam entrar em Gaza e feridos possam ser retirados da região para receber tratamento adequado.

Atualmente, a Faixa de Gaza está completamente cercada por Israel, que impede a entrada de itens básicos e combustíveis, além de ter cortado o acesso à eletricidade.

Nesta quinta-feira, o ministro de Energia de Israel,  Israel Katz, disse que não haverá eletricidade, combustível ou ajuda humanitária em Gaza
 até que o Hamas liberte todos os prisioneiros.



IG Último Segundo