Biden planeja taxar milionários e grandes empresas para reduzir dívida pública dos EUA


Presidente apresentou um projeto de orçamento com imposto mínimo de 25% para os bilionários, que representam 0,01% da população; estimativa é de redução da dívida em US$ 3 trilhões em dez anos

SAUL LOEB / POOL / AFPJoe Biden
US President Joe Biden gestures, applauded by US Vice President Kamala Harris (L) and US House Speaker Nancy Pelosi (D-CA), as he delivers his first State of the Union address at the US Capitol in Washington, DC, on March 1, 2022. (Photo by SAUL LOEB / POOL / AFP)

O presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, apresentou nesta semana um projeto de orçamento com um viés tributarista. Isso porque, no texto, há a intenção da Casa Branca em introduzir um imposto para os mais ricos que visa diminuir a dívida pública norte-americana. Mesmo com chances mínimas de aprovação no Congresso, no possível orçamento para 2024, o democrata pretende instaurar um imposto mínimo de 25% para os bilionários, ou seja, para 0,01% dos norte-americanos mais ricos. A expectativa de redução da dívida pública seria de quase US$ 3 trilhões em dez anos. Além disso, Biden também busca aumentar a alíquota do imposto corporativo de 21% para 28% – ainda abaixo dos 35% que vigoravam antes da reforma implementada pelo ex-presidente Donald Trump, em 2017. “Quando o Medicare [plano de saúde com cobertura parcial do governo norte-americano, aprovado sob a gestão Obama] foi aprovado, o 1% mais rico não tinha mais do que 5 vezes a riqueza dos 50% mais pobres juntos. Vamos pedir aos mais ricos que paguem sua parte justa para que os milhões de trabalhadores que os ajudaram a construir essa riqueza possam se aposentar com dignidade e com o Medicare para o qual pagaram”, afirmou o mandatário na noite da última quarta-feira, 8, em suas redes sociais. Segundo o jornal Washington Post, as intenções de Biden visam aumentar sua popularidade com o eleitorado, já que o chefe do Executivo também busca iniciar seu planejamento para disputar a reeleição à Casa Branca no próximo ano com um aumento do salários dos servidores públicos federais em mais de 5%.





Source link