Vulcão Kilauea entra em erupção menos de um mês após última atividade


Vulcão Kilauea, no Havaí, entra em erupção

Imagem: Patricia Martín Nieto/Wikimedia Commons/Reprodução

Nesta quinta-feira (5), câmeras que registram o comportamento do vulcão Kilauea, no Havaí, detectaram o início de uma nova erupção. Um brilho estranho nas imagens indicava que o gigante encontrado dentro da cratera Halemaumau havia retomado suas atividades cerca de um mês após parar de expelir lava. 

Isso mesmo que você leu: Kilauea já enfrentou uma erupção recente, no final de 2022. Vale dizer que ele não estava sozinho: seu vizinho maior, Mauna Loa, também liberou lava neste período. Esse é considerado o maior vulcão do mundo, e não apresentava uma atividade tão intensa há 38 anos.

Ambos os montes ficam dentro do Parque Nacional dos Vulcões do Havaí, e estão afastados de comunidades residenciais. Apesar do Serviço Geológico dos Estados Unidos ter elevado o nível de alerta para vermelho, Kilauea não representa risco para a população.

A agitação de Kilauea não é novidade. O vulcão no Havaí é considerado um dos mais ativos do mundo. Antes da erupção atual, ele se manteve ativo por duas semanas a partir de 27 de novembro de 2022. 

Uma erupção em setembro de 2021 manteve o Kilauea ativo durante 16 meses. Outro episódio mais antigo, de 2018, segue sendo lembrado por seu estrago: mais de 700 residências foram destruídas na época.

Os nativos havaianos enxergam um profundo significado cultural e espiritual nesses eventos. Durante a erupção do Mauna Loa, por exemplo, muitas pessoas deixaram oferendas, cantaram e dançaram em homenagem a Pele, a divindade dos vulcões e do fogo.

Fonte: Gizmodo