Nevou no Brasil inteiro: veja fotos

0
32



Foto: Mycchel Legnaghi ( AP)

Caiu neve no Brasil, evento extremamente raro para o país tropical. Graças a uma forte onda de frio, neve ou chuva congelante caiu em pelo menos 43 cidades brasileiras nesta semana, segundo o serviço de meteorologia Climatempo. A América do Sul foi atingida pelo ar frio conduzido pelo norte da Antártica, resultando em algumas cenas estranhas em todo o continente. Mais estranho ainda no Brasil, que não vê neve há décadas. 

Foto: Mycchel Legnaghi (AP)

“Tenho 62 anos e nunca tinha visto neve, sabe? Ver as belezas da natureza é algo indescritível”, disse um caminhoneiro de Cambará do Sul, município do Rio Grande do Sul, à TV Globo. Mas, embora seja certamente uma novidade, a neve e a onda de frio que chegaram também deixaram algumas consequências graves.

Foto: Mycchel Legnaghi (AP)

A neve não é inédita no Brasil. Na verdade, nas planícies altas da parte sul do país, é uma ocorrência que pode acontecer todo ano. Mas dessa vez foi diferente, algumas regiões que quase nunca viram esse frio, ficaram cobertas de neve. Em Bom Jesus, cidade gaúcha, a neve caiu e as pessoas aproveitaram para fazer bonecos de neve e guerras com bolinhas. 

A intensidade da queda de neve desta semana, que chegou a um metro de altura em alguns lugares, também foi uma ocorrência rara. Estas são as maiores quantidades de neve que o país já viu desde uma grande nevasca em 1957.

O ingrediente chave para a neve do Brasil é uma onda de frio impulsionada pelo ar que viajou para o norte da Antártica. O ar, normalmente preso ao sul, foi capaz de se mover para o norte graças a um grande zig-zag na corrente de jato, uma rajada de ar de fluxo muito rápido que normalmente mantém o ar mais frio engarrafado próximo aos polos. Mas uma quebra nele permitiu que o ar frio vazasse mais ao norte do que o normal.

“A Antártica tem estado muito fria recentemente e houve fortes picos de frio em todo o hemisfério sul nas últimas semanas”, disse o meteorologista Scott Duncan em uma mensagem direta no Twitter.

Outras regiões, incluindo África do Sul e Austrália, viram choques frios semelhantes devido a esse fenômeno nas últimas semanas, mas nenhum tão intenso quanto o que está atingindo a América do Sul.

“O frio foi rápido e poderia manter sua intensidade no extremo norte da América do Sul, configuração perfeita para fornecer um frio incomumente intenso em toda a América do Sul. Alguns locais quase tropicais estão registrando geadas”, disse Duncan. O gráfico completo que ele criou, mostra a explosão de ar frio ao longo do tempo.

Enquanto alguns ficaram maravilhados com a rara oportunidade de construir bonecos de neve e maravilhar-se com os flocos brancos, a onda de frio também pode ter consequências severas para os agricultores, porque pode destruir safras de exportação importantes. No início desta semana, os preços do café dispararam para uma alta em seis anos, devido ao temor de que os cafezais brasileiros estivessem sob ameaça. A geada também caiu sobre os canaviais do estado de São Paulo, que é responsável por mais de 60% da produção de açúcar do Brasil. E as laranjas, outro produto de exportação crucial, também estão em risco.

Mesmo antes do frio, os agricultores e os sistemas de abastecimento de água em algumas partes do país também sofrem com a seca. Para algumas áreas, é a pior seca em 90 anos e traz de volta sombras uma seca de 2014 que quase fez com que os principais reservatórios de São Paulo secassem.

Foto: Mycchel Legnaghi (AP)

O ar frio continuará atormentando o Brasil esse fim de semana. As temperaturas devem continuar caindo nos próximos dias e mais neve pode estar a caminho, de acordo com o Inmet, o instituto meteorológico do Brasil.

Assine a newsletter do Gizmodo

Isso se soma à série de eventos climáticos bizarros ao redor do mundo nas últimas semanas, incluindo uma onda de incêndios florestais da Sibéria à Califórnia e ondas de calor extremo em todo o hemisfério norte. Como sempre, uma onda de frio não prova que o planeta está superaquecido (e de fato, as ondas de frio no polo norte podem se tornar mais comuns por causa da crise climática).





Fonte: Gizmodo