Jack Dorsey deixa cargo de presidente-executivo do Twitter | Tecnologia

0
16


Jack Dorsey, um dos fundadores do Twitter, disse nesta segunda-feira (29) que irá deixar o cargo de presidente-executivo da rede social.

O anúncio foi feito pouco depois de o site americano “CNBC” indicar a sua saída, citando fontes. Ao confirmar a decisão, publicamente, em seu perfil no Twitter, Dorsey ainda brincou: “Não sei se todo mundo já sabe, mas… eu me demiti do Twitter”.

Dorsey também informou que seu sucessor na rede social será Parag Agrawal, que ocupava o cargo de diretor de tecnologia desde 2017. E que a troca de comando é imediata.

O cofundador seguirá como membro do conselho do Twitter até seu mandato expirar, no ano que vem. E continuará como CEO da empresa de pagamentos digitais Square, função que exercia simultaneamente com a “chefia” do Twitter — o que vinha gerando pressão de investidores pela sua saída (leia mais abaixo).

Essa não é a primeira vez que o Dorsey deixa o posto no Twitter – em 2008, dois anos após a fundação da empresa, o magnata foi afastado do cargo por supostamente gastar muito tempo fazendo yoga e tendo aulas de design de moda.

Ele só retornou em 2015 – durante esse período a companhia foi comandada pelo cofundador Evan Williams, que depois passou a liderança para o executivo Dick Costolo.

Quem é Parag Agrawal, o novo presidente do Twitter

Quem é Parag Agrawal, o novo presidente do Twitter

Em carta direcionada aos funcionários intitulada “Voo”, Dorsey diz que trabalhou duro para que o Twitter pudesse se desvencilhar de sua fundação e de seus fundadores, por acreditar que isso seja algo bastante limitador.

Na mensagem divulgada também em seu perfil, o magnata afirma ainda que quer que todos saibam que a saída “foi uma decisão dele” e que “está muito triste… e, ainda assim, muito feliz”, por entender que é o momento certo.

No entanto, há meses Dorsey vinha sofrendo pressão para deixar a liderança do Twitter – no início de 2020, o grupo investidor Elliott Management teria pedido a sua saída, de acordo as agências de notícias Reuters e Bloomberg.

Parag Agrawal ingressou no Twitter como engenheiro de software em 2011.

Diretor de tecnologia da empresa desde outubro de 2017, ele liderava a estratégica técnica da empresa e a iniciativa Bluesky, equipe criada em 2019 com o objetivo de desenvolver um padrão descentralizado para redes sociais.

Parag Agrawal substituiu Jack Dorsey como presidente-executivo do Twitter — Foto: Divulgação/Twitter

Dorsey nasceu e cresceu em Saint Louis, no estado americano do Missouri, em 19 de novembro de 1976. Assim como outros grandes nomes da tecnologia, ingressou na faculdade mas abandonou a graduação pouco antes de completá-la.

Jack Dorsey, presidente do Twitter durante sessão no Congresso dos EUA em março de 2021 — Foto: Reprodução via Reuters

Ele está entre as 200 pessoas mais ricas do mundo, de acordo com o ranking da revista “Forbes”, com uma fortuna avaliada em US$ 11,7 bilhões e é famoso por ser um executivo pouco convencional – no final de 2019, ele disse que pretendia morar na África durante parte de 2020, mas não concretizou seus planos.

Entusiasta da criptomoeda Bitcoin e de tecnologias de blockchain, vendeu o primeiro post da história do Twitter como um NFT por US$ 2,9 milhões. O tuíte – “estou criando minha conta Twttr” – foi publicado em 21 de março de 2006, ainda com a referência ao antigo nome da rede social.

Em uma audiência on-line da Câmara dos Estados Unidos sobre desinformação na internet, o executivo roubou a cena por mostrar uma espécie de relógio com a cotação do Bitcoin. Na ocasião, também levou uma “bronca” da deputada democrata Kathleen Rice por ironizar as perguntas dos congressistas em uma enquete no Twitter.

Com a saída de Dorsey, essa é a segunda grande mudança de liderança em empresas de tecnologia nos últimos meses.

Em julho passado, o fundador da Amazon, Jeff Bezos, deixou o cargo de presidente-executivo da gigante do varejo on-line – mas ao contrário de Dorsey, ele não vinha sendo pressionado por investidores e decidiu sair para se dedicar a outras empreitadas, como a empresa de exploração espacial Blue Origin.



Fonte: G1