Google e OFF! lançam mapa para ajudar a fugir dos mosquitos


O Brasil terá a partir desta segunda-feira (13) uma plataforma interativa que prevê quais as chances de uma região no país ter maior ou menor presença de mosquitos. As informações são gerados e organizadas a partir de tecnologias geoespaciais e de análise de dados.

Nomeada “OFF!Cast Previsão de Mosquitos”, a iniciativa é desenvolvida pela SC Johnson, fabricante dos repelentes Off!, em parceria com a divisão de armazenamento em nuvem do Google.

A promessa é levantar as atividades dos insetos em qualquer ponto do Brasil, com divisões entre chances: grave, muito alta, alta média ou baixa. As previsões podem contribuir com a criação de estratégias para o combate de mosquitos transmissores de várias doenças.

Os dados da ferramenta preveem a concentração dos insetos nos próximos sete dias para alguma região específica, calculada via CEP, e gera alertas semanais enviados por email, caso você queira acompanhar a quantas andam os mosquitos na sua rua.

“Ao aplicar dados da ciência da biologia do mosquito, a OFF!Cast Previsão de Mosquitos prevê com precisão o comportamento e as populações de mosquitos em localizações geográficas específicas,” afirma a empresa em primeira mão à Tilt.

O recurso está disponível tanto para desktops quando para aparelhos móveis e pode ser acessado diretamente na página da Off.

Como o mapa funciona

Parceria entre Google e SC Johnson, OFF!Cast faz previsão de mosquitos de 7 dias para todo o Brasil - Divulgação - Divulgação

Parceria entre Google e SC Johnson, OFF!Cast faz previsão de mosquitos de 7 dias para todo o Brasil

Imagem: Divulgação

Desenvolvido com a arquitetura do Google Cloud e testado primeiramente nos Estados Unidos no ano passado, a plataforma cruza informações de clima, biologia e meio ambiente para gerar um mapa de calor da atividade dos mosquitos.

Essas informações são retiradas do Google Earth Engine, plataforma de monitoramento do Google via satélite que usa dados em tempo real.

A engenharia do sistema, basicamente, funciona assim:

  • O Google Earth Engine extrai bilhões de pontos de dados climáticos individuais;
  • Um algoritmo científico da SC Johnson traduz estes dados meteorológicos em informações sobre os mosquitos;
  • Estes dados são cruzados com outros já conhecidos sobre ciclo de vida e ambientes ideias de reprodução do mosquito;
  • O resultado é transformado em uma previsão da população de mosquitos de sete dias, codificado por cores.

O modelo avalia todo o ciclo de vida do mosquito, desde o momento em que põe ovos até quando pode picar um ser humano.

Não é só pela importunação

Previsão de mosquitos de sete dias para a cidade de Fortaleza, a partir da plataforma OFF!Cast - Divulgação - Divulgação

Previsão de mosquitos de sete dias para a cidade de Fortaleza, a partir da plataforma OFF!Cast

Imagem: Divulgação

A estimativa das duas empresas é de que o público não apenas evite as perturbações dos mosquitos, mas se proteger de doenças perigosas como Dengue, Zika, Malária e Chikungunya, das quais o inseto pode ser vetor.

Segundo o Volume nº 53 do boletim epidemiológico da Secretaria da Saúde, somente no Brasil, cerca de 1,45 milhão de casos prováveis de Dengue foram registrados em 2022 – um aumento de 160,4% desde 2021.

“A prevenção é a melhor forma de proteção contra os mosquitos e as possíveis doenças que eles transmitem”, diz o Dr. Tom Mascari, entomologista da SC Johnson, em comunicado.



UOL Tecnologia