Foguete chinês engata “marcha-ré” e pousa com sucesso no mar


Foguete chinês engata "marcha-ré" e pousa com sucesso no mar; assista

Imagem: YoyuTube/Reprodução

A CAS (Academia Chinesa de Ciências) fez na última semana um teste bem-sucedido de um protótipo de foguete que consegue decolar e pousar na vertical. Tal feito só tinha sido demonstrado antes por empresas norte-americanas, como a SpaceX e a Blue Origin.

Durante o teste, o foguete atingiu uma altitude acima de 1.000 metros. Em seguida, ele pairou no ar e engatou a “marcha-ré”, conseguindo pousar em uma plataforma instalada em um barco no mar.

Segundo a CAS, o foguete conseguiu desacelerar a sua descida para menos de 2 m/s, realizando um pouso suave com uma precisão de menos de 10 metros. O experimento completo levou cerca de 10 minutos e pode ser assistido no vídeo abaixo:

O foguete – batizado Zhongke Aerospace Launch Vehicle – tem 2,1 metros de altura, pesava 93 quilos no momento do seu lançamento e era movido por dois motores. Durante o pouso vertical, foi utilizado um motor do tipo turbojato para simular um motor de foguete de combustível líquido com potência variável.

A China lançou o protótipo na cidade costeira de Haiyang, na província de Shandong, que fica a cerca de 500 km da capital Pequim.

O objetivo foi verificar como o sistema de comunicação e medição do foguete se comporta ao pousar em uma plataforma em movimento e que oscila sobre a água. Esse tipo de pouso no mar é importante, pois ele minimiza os danos — caso ocorra uma falha e o foguete não consiga pousar suavemente.

Exploração espacial mais barata

De acordo com o engenheiro sênior da CAS, Lian Jie, a tecnologia usada nesse experimento é diferente da usada pela SpaceX. “O nosso é baseado na tecnologia doméstica, tanto de software quanto de hardware, e estamos explorando os limites da tecnologia, como gerenciamento de empuxo variável, posicionamento de precisão e a tecnologia de estabilização por conta própria”, disse Jie ao Global Times.

O teste bem-sucedido deste protótipo permitirá que a China desenvolva foguetes reutilizáveis que possam ser recuperados em alto-mar. A ideia é que, além do foguete, a plataforma de pouso marítima também seja reutilizável, reduzindo os custos de lançamento.

Espera-se que a CAS aproveite essa tecnologia para lançar satélites e espaçonaves. Além disso, ela pode impulsionar o mercado do turismo espacial no país.

A expectativa é que o lançamento real de um foguete chinês com a tecnologia de recuperação no mar aconteça até o final deste ano.

Fonte: Gizmodo