Clonagem de pets vira tendência e gera polêmica; temos esse direito?


1. Clonar animais no Brasil é legal?

A prática não é proibida, mas ainda não foi regulamentada (teve regras estabelecidas). A clonagem já acontece no setor agropecuário. Há um projeto de lei tramitando na Câmara para regulamentá-la, mas apenas para animais ligados ao ramo. O texto, no entanto, não fala de clonagem de pets.

2. Quero clonar meu animal de estimação, mas moro no Brasil. Como faço?

Por enquanto, esse tipo de clonagem é oferecido comercialmente apenas nos Estados Unidos, China e Coreia do Sul. A ViaGen Pets & Equine, do Texas (EUA), diz aceitar clientes de qualquer parte do mundo. Nesse caso, é preciso enviar adequadamente o material genético —um tecido, em geral da pele, coletado pelo veterinário. A chinesa Sinogene e a sul-coreana Soaam também atendem globalmente.

Por aqui, há empresas do ramo agropecuário, como a In Vitro Brasil Clonagem Animal, sediada em Mogi Mirim (SP), que fornecem armazenamento de células congeladas de gatos e cachorros, a um custo de R$ 3.000. Mas sem clonagem.

3. Quais são os riscos da clonagem de pets?

Além do alto custo e da baixa taxa de sucesso (cerca de 20%), é preciso estar ciente de que o animal clonado pode não reproduzir o comportamento e nem mesmo as exatas características físicas. Você não vai trazer seu bichinho de volta à vida.

4. Quero me informar mais sobre o assunto

Livro: “Os Clones”, de Marcia Lachtermacher Triunfol (Coleção Folha Explica)

Livro: “O Gene: Uma história íntima”, de Siddhartha Mukherjee (Companhia das Letras)

Livro: “Dog, Inc.: The Uncanny Inside Story of Cloning Man’s Best Friend”, de John Woestendiek (Avery, em inglês)

Documentário: “Explicando: DNA Projetado” (Netflix)



UOL Tecnologia