Força Espacial fará experimento para reabastecer satélites em órbita

Share on facebook
Share on twitter
Share on telegram
Share on whatsapp


Posto de gasolina no espaço? Um experimento da Força Espacial americana com valor de US$ 50 milhões chamado Tetra-5 tentará demonstrar o reabastecimento de pequenos satélites em órbita geoestacionária.

A Força Espacial dos Estados Unidos planeja lançar três pequenos satélites em órbita geoestacionária que farão a tentativa de atracar em uma espécie de navio-tanque propelente para que possam ser reabastecidos no espaço.

publicidade

A ideia do experimento é “testar peças da infraestrutura de reabastecimento,” afirmou o Coronel Joseph Roth, diretor de inovação e prototipagem do Comando de Sistemas Espaciais dos EUA, em entrevista ao SpaceNews no Simpósio Espacial em Colorado Springs.

De acordo com Roth, o objetivo do experimento é ajudar a Força Espacial e descobrir como tirar proveito de tecnologias comerciais de serviço no espaço, ao prolongar a vida útil de satélites em órbita, em especial espaçonaves geoestacionárias que realizam missões críticas e que tem substituição cara.

O experimento com valor de US$ 50 milhões de nome Tetra-5 é comandado pela Space Enterprise Consortium, da Força Espacial e propostas para o projeto foram fechadas em abril.

Os três satélites do experimento da Força Espacial terão sensores para operações de encontro e aproximação, além de interfaces de ancoragem para o reabastecimento. Os interessados nos satélites terão que instalar portos de reabastecimento e terão opção de usar interfaces da Orbit Fab ou Northrop Grumman.

Leia também:

A Orbit Fab é uma startup que busca fornecer serviços de reabastecimento no espaço e desenvolveu as portas RAFTI (rapidly attachable fluid transfer interface, ou interface de transferência de fluido rapidamente conectável). A startup conseguiu um contrato recente com a Space Force para integrá-las em satélites militares. Já a Northrop Grumman, por meio da SpaceLogistics, desenvolveu uma porta diferente, chamada Passive Refueling Module.

Via SPACENEWS

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!





Source link