‘Só onde tem cachê’ · Notícias da TV



Após apresentar Os Donos da Bola de segunda-feira (2), o craque Neto correu para Santos para se despedir de Edson Arantes do Nascimento, o Pelé (1940-2022). Ele criticou a ausência no velório de ex-jogadores que conquistaram os títulos do tetra e do pentacampeonato na Copa do Mundo. “Talvez só vão onde ganham cachê”, alfinetou ele.

“As pessoas têm que saber quem foi o Pelé. São campeões do mundo e não vieram ver o Pelé? No mínimo, é falta de respeito”, completou ele, em uma declaração feita para a imprensa na porta da Vila Belmiro e publicada pelo UOL Esporte.

O apresentador, que mais cedo havia se recusado a mostrar o caixão do rei do futebol na Band, permaneceu no local do velório durante quase cinco horas e se emocionou bastante. “O Pelé é um ídolo do mundo. É eternizado, um dos caras mais importantes depois de Jesus, o maior ser humano de todos”, declarou ele.

A fala de Neto aconteceu após campeões como Ronaldo Fenômeno, Cafu, Roberto Carlos e Kaká ficarem em evidência durante o Mundial de 2022 por aparecerem no camarote da Fifa, de terno e gravata, em todos os jogos da Seleção Brasileira. Eles foram pagos pela entidade.

Walter Casagrande afirmou que a postura do grupo fazia com que os torcedores perdessem a identificação com os “heróis do penta”, algo que não aconteceu com a torcida argentina, que teve seus campeões nas arquibancadas dos estádios no Catar.

As declarações do ex-comentarista deixaram o grupo incomodado. Kaká, por exemplo, chegou a afirmar que a torcida brasileira era “sem memória” por não reverenciar os ex-jogadores. 

Confira abaixo:






Noticias da TV